• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - COLUNA DO SILVEIRA 1399

COLUNA DO SILVEIRA 1399

“Obrigado Senhor por todas as vitórias que Tu tens me proporcionado. Elas são ungidas por Vossas Bênçãos e Misericórdia. Jamais deixarei de Te Louvar, Te Glorificar e de dar testemunhos do quanto És bom!”. Clélio Silveira Filho.

 

Olá, amigas e amigos leitores deste inexorável Jornal AGORA Santa Inês, muito bom dia, com ou sem chuva! Creio eu que pras bandas de cá as chuvas já começam a diminuir de intensidade, muito embora ela ainda seja presença diária em nossa cidade e há previsões de que venham mais chuvas por aí no Maranhão. Dentre as cidades mais castigadas com os milímetros de chuvas além dos previstos estão Imperatriz, Boa Vista do Gurupi, Pindaré, São José de Ribamar e a própria capital do Estado, entretanto quase duas dezenas de municípios maranhenses já decretaram Estado de Emergência, entretanto a bola da vez nos últimos dois dias foi a cidade do Rio de janeiro. Lá a coisa estava mais do que feia na segunda e terça. Alagamentos com trombas dágua e tempestades sem registro nos últimos 30 anos. Algo em torno de 190 a 300 milímetros de água em uma única noite, a de segunda. Quer dizer, o que aconteceu em São Paulo a maior cidade do País se repetiu no Rio de Janeiro. Enquanto a gente choraminga por aqui com algumas chuvas ou tempestades, muitas cidades pelo Brasil estão em petição de alarme. Que Deus abençoe cada um dos brasileiros em risco de vida ou de perder suas casas, para que essa situação acabe logo. Bom, ali em Pindaré e bem ali em Monção, estão duas populações que precisam de ajuda de terceiros, além das autoridades, governos etc. Não custa nada, quem puder, fazer alguma doação ou mesmo visitar as famílias desalojadas de suas casas, e alojadas em abrigos improvisados. São nossos irmãos sofrendo e precisando de ajuda. Para finalizar este parágrafo, informamos que esta é a edição impressa, online e em PDF de número 1399 do seu Jornal AGORA Santa Inês, que circula neste dia 10 de abril de 2019. Que Deus nos abençoe e todos. Amém!

 

LUTO NA FAMÍLIA

Comunico aos amigos e familiares que não tiveram conhecimento, que ao amanhecer do último sábado (6), por volta das 6:30, faleceu em Pindaré Mirim, a minha tia Ingrácia Fonseca Silveira, viúva do meu tio e ex-prefreito de Pindaré, também já falecido, José Ribamar Silveira. Tia Ingrácia  faleceu aos 91 anos de idade, de várias complicações de saúde. O corpo foi velado na residência da família localizada há décadas na em uma das esquinas da Praça Guajajaras, naquela cidade. O sepultamento se deu às 9:00h da manhã de domingo no Cemitério Municipal de Pindaré. Tia Ingrácia, salvo engano, foi a primeira tabeliã de Pindaré, lá na década de 50. Tinha um carinho especial por este jornalista. Deixa muitas saudades, que sua alma descanse em paz!      

 

JIMMY CLIFF E EU

O mundo comemorou os 71 anos de Jimmy Cliff no último dia 1º de abril. Nascido James Chambers em Saint James, na Jamaica, ele viveu maior parte do tempo na Inglaterra. Dono de uma carreira que começou lá nos idos de 1964, quando Cliff tinha 16 anos, ele veio algumas vezes ao Brasil, chegou a fazer uma  excursão no ano de 1980 com Gilberto Gil por várias cidades brasileiras. Mais adiante, ainda na década de 80 passou por várias outras cidades em show solo, um deles foi produzido por mim no Ginásio de Esportes do Juçara Clube em Imperatriz. Antes porém, passamos uma tarde na casa de um amigo que tinha um piano, e lá ficamos com Cliff tocando e  tocando algumas músicas para uma plateia de uma dúzia de pessoas. Simples e humilde, nem de longe parecia ser o consagrado cantor de reggae conhecido no mundo todo.

 

RELIGIÃO DIFERENTE DE BOB MARLEY

Diferente dos outros artistas de reggae jamaicanos, Jimmy não é da religião rastafári, o que lhe causou preconceito em seu país. Sua religião é a muçulmana, e a resistência em se aceitar um artista de opção religiosa diferente do cristianismo e do rastafári na Jamaica favoreceu a sua escolha em mudar-se para a Inglaterra. Após a sua conversão ao islamismo, mudou de nome para El Hadj Bachir Naim. Não voltou mais ao Brasil nos últimos tempos. Grande artista com o qual eu tive o prazer de trabalhar, ao menos um show.

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Coluna-do-Silveira

Data: 10/04/2019

Visitas: 91

Palavras-chave: COLUNA DO SILVEIRA 1399

Fonte:

Big Systems
4414257 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 22 do mês 04 de 2019