• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - Especialistas debatem os impactos da hipertensão e insuficiência cardíaca

Especialistas debatem os impactos da hipertensão e insuficiência cardíaca

No próximo dia 26 de abril é celebrado o Dia Nacional de Combate à Hipertensão Arterial, data que alerta para a importância do combate à essa doença silenciosa e que pode resultar em complicações cardiovasculares. A hipertensão é uma doença silenciosa que atinge 36 milhões de brasileiros¹, sendo mais de 60% idosos. A condição é preocupante pois a hipertensão está diretamente relacionada com a ocorrência de eventos cardiovasculares, como infarto e AVC¹.

 Muitas idas ao banheiro à noite podem indicar hipertensão

Um recente estudo divulgado em março no Congresso Anual da Japanese Circulation Society² revela que adultos que urinam uma vez ou mais por noite têm maior probabilidade de ter pressão arterial elevada, em comparação com aqueles que dormem a noite toda, sem a necessidade de ir ao banheiro.

 Entre os participantes do estudo, que tinham em médica 64 anos, cerca de 45% tinham pressão alta, que no estudo foi considerada como maior ou igual a 140/90 (mmHg). Os participantes também responderam a um questionário, onde 69% relatou ter noctúria, que é a necessidade de levantar para urinar durante a noite. Cerca de metade desses indivíduos tinham hipertensão. A partir desses dados, os cientistas calcularam que aqueles que urinavam uma vez ou mais por noite eram 40% mais propensos a ter pressão alta em comparação com aqueles que não tinham eventos noturnos.

 Os riscos da insuficiência cardíaca

Outra doença cardiovascular que está intrinsecamente ligada à hipertensão é a insuficiência cardíaca, uma das doenças crônicas de mais difícil diagnóstico. A IC ocorre quando o coração não consegue bombear sangue suficiente para atender às necessidades do corpo. Consequentemente, o fluido pode se acumular nas pernas, pulmões e em outros tecidos pelo corpo, o que causa falta de ar, inchaço dos membros inferiores e fadiga, entre outros sintomas³.

  As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo e também entre os brasileiros4. Segundo dados da SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia), mais de 380 mil pessoas morreram em decorrência de doenças cardiovasculares em 2017, responsáveis por mais de 30% dos óbitos registrados5. Os principais fatores de risco são: sedentarismo, obesidade, hipertensão, diabetes, estresse e níveis elevados de colesterol no sangue.

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Entretenimento

Data: 24/04/2019

Visitas: 52

Palavras-chave: Especialistas debatem os impactos da hipertensão e insuficiência cardíaca

Fonte:

Big Systems
4520849 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 24 do mês 05 de 2019