• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - COLUNA DO SILVEIRA 1407

COLUNA DO SILVEIRA 1407

“O que estamos buscando atualmente tem agradado a Deus? Estamos sendo fiéis aos ensinamentos do Senhor? A nossa missão enquanto Cristão está sendo cumprida de qualquer jeito? Diante dessas perguntas você pretende melhorar ou permanecer da maneira em que se encontra? Lembre-se de que você foi gerado para ser uma pessoa diferente que busca o Senhor e a Ele respeita”. (Francisco José Severino Filho, do livro de sua autoria: Mensagens de Deus para sua Vida )

 

 
Olá, bom dia! Meio de semana chegando e nós aqui rente no batente que nem pão quente, com mais uma edição do Jornal AGORA Santa Inês, a de número 1407 que circula nesta quarta-feira dia 15 de maio de 2019, trazendo um “caminhão” de matérias, opiniões, conselhos, cobranças e variedades para os seus milhares de leitores das versões impressa, online e PDF. Como hoje temos muito o que escrever mais pra frente, fechamos este parágrafo como sempre o fazemos, rogando a Deus que Ele nos abençoe a todos, nos permita viver um grande dia e nos dê muita saúde física, psíquica e espiritual. Deus no Comando! Amem!

 

MÁRIO PRAZERES, O JUIZ I

Passou o Dia das Mães e me veio a lembrança de um juiz que por cerca de meia década ou mais, atuou em Santa Inês na 3ª Vara da Família, hoje juiz do 3º Juizado Especial Civil e das Relações de Consumo de São Luís, capital do Estado, Mário Prazeres. O juiz Mário Prazeres que tive oportunidade de conhecê-lo quando voltei a morar em Santa Inês, 30 anos depois de ausente, fundou na cidade a instituição Justiça sem Fome. E foi exatamente por causa dela que nos tornamos parceiros em mais de uma dezena de ações sociais em Santa Inês. Eu e ele éramos os “pidões” do que a instituição doava para milhares de famílias pobres de Santa Inês, juntando com o que ele arrecadava em permuta de algumas pequenas penas aplicadas a infratores.

MÁRIO PRAZERES, O JUIZ II

No Natal, no Dia das Mães, na Semana Santa, lá estávamos nós (com todos do Fórum que se dispunham a ajudar) distribuindo cestas básicas para as famílias previamente cadastradas. A primeira dessas ações foi realizada no salão da Assembleia de Deus da Rua do Sol. Seguiram-se outras tantas. Com o projeto cada vez mais se agigantando, fomos mudando para locais maiores, e assim fomos parar em um dessas ações no ginásio do CAIC, no Bairro Sabbak. Outras vezes foram feitas mesmo no pátio do antigo Fórum ali na Rua Wady Hadad.

 

A MAIOR DELAS

A maior dessas ações sociais feitas pelo Justiça Sem Fome, aconteceu no gigantesco espaço do Parque Dona Zima. Foi num final de ano, e não foram só cestas básicas, aliás, desde antes, alguns eletrodomésticos já faziam parte das ações, no Dona Zima teve geladeiras, fogões, ventiladores, liquidificadores e outros utensílios domésticos além das cestas básicas. Vieram de São Luís três ou quatro desembargadores e o cerimonial do TJ. Foi, salvo engano, o último que fizemos, vez que logo ele foi promovido para São Luís. Deixou-nos, e o Justiça Sem Fome deixou de existir.

 

ROBERTH E VIANEY

Ainda bem que nos mandatos de prefeito de Roberth Bringel e agora no de sua mulher Vianey Bringel, no Dia das Mães são distribuídas milhares de cestas básicas e alguns utensílios domésticos. Na Semana Santa também a prefeita faz  a distribuição de outras milhares de cestas básicas. Mas, o Justiça Sem Fome, marcou história e faz uma falta danada!

 

CHAPÉU RENDEU 40 MIL

Um fato pitoresco aconteceu no Justiça Sem Fome que talvez poucas pessoas ficaram sabendo ou talvez, nem lembrem mais. Em marco de 2004 eu trouxe à Santa Inês o cantor Daniel para fazer um show no Dona Zima. Como ele era (e é) meu amigo, pensamos, eu e o juiz Mário Prazeres, em fazer um jogo de futebol onde Daniel participasse e o  ingresso seria 2 kg de alimentos não perecíveis. Mas ao conversar com Daniel ele disse da impossibilidade e coisa e tal, e me convenceu ao doar um chapéu de sua grife para ser vendido, rifado ou leiloado. Conversei com o Dr. Mário Prazeres e o levei ao hotel para receber o chapéu em tela, autografado por Daniel. Passado alguns meses, o chapéu foi levado a leilão numa fazenda próxima de Santa Inês, a Eldorado, onde foi arrematado por um criador do Pará, por 21 mil reais. O fazendeiro que arrematou o chapéu, o doou de volta para o Justiça Sem Fome. No ano seguinte, no mesmo leilão, lá estou eu e minha mulher Aldrey Barbosa representando o juiz Mário Prazeres, que tinha feito uma viagem a Curitiba. O chapéu foi a leilão de novo e foi arrematado por 19 mil reais. Só que desta vez quem arrematou disse logo “desta vez não tem devolução, não! Vou levar pra mim o chapéu”. E assim o fez. O resultado de tudo é que o chapéu do Daniel rendeu 40 mil reais para o Justiça Sem fome.

 

EX-PADRE FALECE EM IMPERATRIZ

Raimundo Pinto de Souza, que se tornou um dos padres mais conhecidos de Imperatriz na década de 1990, faleceu na tarde de sábado, 11/05/2019, no Hospital Macrorregional daquela cidade. Estava com câncer no pâncreas. O velório ocorreu na Igreja de Santa Teresa, da qual foi pároco e, nessa condição, coordenava os festejos da padroeira de Imperatriz. O enterro foi realizado na segunda-feira. (Escreveu Edmilson Sanches). Raimundo Pinto já não era mais padre, deixou a igreja 17 anos depois de ser ordenado, virou evangélico, casou-se, teve dois filhos e depois voltou a ser católico.

 

UM GRANDE AMIGO

O então padre Raimundo Pinto foi um grande amigo deste escrevinhador aqui na década de 90. Tínhamos muita afinidade e eu participava de alguma maneira das festividades da Igreja de Santa Tereza d`Ávila, Padroeira de Imperatriz. Raimundo Pinto viajou o mundo estudando antes de ordenar-se padre, e foi em Assis, na região da Umbria, Itália, na terra de São Francisco de Assis, que Raimundo Pinto fez votos de frade. Muito questionado e tido como intransigente, ele queria tão somente viver como aprendera durante décadas de estudos. Ao ser criticado apelava para uma frase de autoria de Bob Marley: autoqualificar, 

"Vocês riem de mim por eu ser diferente; e eu rio de vocês por serem todos iguais". Por uma dessas coincidências inexplicáveis, Raimundo Pinto morreu no mesmo dia em que Bob Marley morreu em 1981; 11 de maio. (Escreveu Edmilson Sanches). 

 

GOVERNADOR DE NOVO

Carlos Brandão, vice governador do Maranhão, eleito junto com Flávio Dino para o segundo mandato, vai mandar muito no Estado neste segundo mandato. É que Dino tem outras pretensões e agora resolveu correr o mundo. Depois do EUA, vai no final de semana para Inglaterra, Londres, fazer palestra, coisa que Dino é professor. E aí, Carlos Brandão vai ficando....ficando....e abrindo caminho para 2022. Brandão e Dino, Dino e Brandão, há muita confiança entre os dois.

 

A MANEIRA DE BRANDÃO

A maneira como Carlos Brandão se relaciona com os políticos de um modo em geral, correligionários ou adversários, é bem típica dele. Ele teve como mestre o ex-governador José Reinaldo Tavares de quem foi chefe de gabinete por quatro anos. Manso, sensato e pronto a ouvir a todos, Carlos Brandão é um político diferenciado. Por conhecê-lo bem, acredito que ele vai longe.

 

MÃE..…MÃE

Na foto a prefeita de Monção Claudia Silva em uma singela homenagem à sua mãe........, um exemplo de mãe que tem como base familiar a Igreja onde bate ponto quase todos os dias, ou todos os dias. As filhas e filhos de Dona Maria do Socorro e Felipinho, tem uma mãe de joelhos dobrados e de uma fé grandiosa. Cláudia também é mãe. Parabéns para as duas! 

Postado por: Redação Agora

Categoria do Post: Coluna-do-Silveira

Data: 15/05/2019

Visitas: 458

Palavras-chave: COLUNA DO SILVEIRA 1407

Fonte:

Big Systems
5351538 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 17 do mês 11 de 2019