• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - Crueldade

Crueldade

Crudelis, em latim significa pessoa cruel, que faz o sangue (cruor) dos outros correr. Em latim, Cruor é o sangue dos outros derramado de modo violento.

Duro, insensível, desumano, o que expressa maldade, a tirania, eis a crueldade humana quando ele a faz brotar.  O cruel é o malvado, que maltrata ou atormenta os outros, que provoca horror, e repulsa. É o que comete crime capaz de causar infelicidade. Estaria eu me referindo a que ou a quem? Mais uma das diferentes facetas humanas. Eis o homem cruel, par-e-passo ao que chora, se compadece, que ama, e que se dá para outro. Eis a contradição humana, pois no mesmo que faz nascer a vida, nele está o mesmo que tira. O mesmo que dá a vida por alguém e que aplaudimos, é o mesmo nos faz chorar de dor e sofrimento.

Quando um é, todos podem sê-lo. E todos são qualquer coisa em qualquer momento da vida, uma coisa ou outra. Eis a verdade nua dura e crua. A vida e suas metamorfoses, suas contradições e sua plástica. Há homens bons, outros ruins, há uns muito bons e outros austeros, e muito ruins. Há homens sensíveis e há homens insensíveis. Há os que buscam, promovem e protegem a vida, outros que buscam, promovem e a destroem a vida. Tudo em um só. Só nas distintas formas de se viver eu digo quem ao lado do outro desconhecido. Diferente forma de eu ser, ou não ser. Eis a vida repleta de incompreensões, contradições e mesmo assim, nos contém. O homem os outros, eis o mundo, uma única coisa só, que se confundem aqui ou acola.  Uns com os outros e todos podem ser um ou outro em qualquer tempo.

Em condições mais humanas, nossa consciência reclama da crueldade. E, esses que a praticam, os cruéis, são incapazes de alcançarem a virtude sobre sua existência. Esses são intrépidos, vorazes, impulsivos, e indiferentes aos outros. A crueldade nasce conosco, e seus primórdios são revelados na infância, prossegue na adolescência e se materializa na vida adulta.

A dor, o sofrimento e o arrependimento, não fazem parte do seu vocabulário e impõe isso com maestria aos outros, sem qualquer arrependimento ou pudor. Independente da dor e do sofrimento que suas atitudes possam gerar. O embotamento afetivo e frieza emocional são marcas indeléveis em suas condutas. A prática da crueldade é constante e tais condutas não se modificam ao longo do tempo nem ante as circunstâncias. São traços marcantes da personalidade dessas pessoas e o acompanharam infinitamente. Permanecem incólumes praticando barbárie em cima de barbárie e parece que quanto mais praticam tais atitudes mais se sentem compelidos a continuarem a praticá-los.

A crueldade, como outros traças humanos na perspectiva antropológico cultural e Psiquiátrica, nos obriga a fazermos alguns recortes quanto sua significância e abrangência. Em Psiquiatria, a crudelis está presente em algumas doenças mentais, entre essas, os transtornos de personalidade, sobretudo entre os Antissociais e os Boderlines, são os que mais apresentam maiores predisposições para práticas cruéis.

Usuários crônicos de drogas, especialmente os abusadores, alcoolistas e dependentes de crack. Retardo mental, alguns tipos de Epilepsias, sobretudo as de Lobo Temporal, quadros Psicóticos Delirantes, Esquizofrenia, quadros Demenciais, Transtornos Sexuais como sadomasoquismo, Transtorno de Conduta (que ocorre entre crianças e adolescentes abaixo de 18 anos) etc. Estão também entre os que apresentam propensão ao cometimento da crueldade.

Do ponto de vista sociológico sua significância é enorme acompanha a violência em diferentes níveis. Cada vez mais nos distanciamos da ternura, da bondade, da fraternidade e do amor pelo outro, antítese das práticas cruéis. Se torna até uma rotina assustadora a avalanche de notícias sobre crimes, violência e crueldade.  O mundo está violento, a sociedade e os homens, idem.

Metaforicamente, a crueldade não se dá somente com o cruor. Ela é patoplástica, se modifica e se distorce. O autoritarismo, presentes em algumas formas de governo, como a que estamos vendo ocorrer na Turquia, onde um líder nacional, revestido de chefe de estado e em nome da democracia comete atrocidades.

A indiferença ao sofrimento do outro, o desamor, a desigualdade social, as guerras, a opressão social, a ganância, os governos ditatoriais, são formas cruéis de governar e de agir. A corrupção, as injustiças sociais, a governança por incúria, a negligência na gestão pública, são também práticas cruéis. A arrogância, a onipotência, o terrorismo, a ignorância, a desesperança, o descuido com cidade, com as crianças e com os adultos, o desemprego, são também condições cruéis, porque isso resulta em grandes prejuízos, dor, angústia e sofrimento a uma população, embora possa não se derramar uma gota de sangue.

Hoje, mais que em outras épocas, há farta evidência de mudança sociais inspiradas em práticas cruéis e desumanas. Quando não somos mais capazes de ter piedade, pena e dó de alguém, quando perdemos a capacidade de nos indignar e aceitar a degradação progressiva da sociedade e não reagimos ou as injustiças. Quando vemos ricos, cada vez mais ricos e pobres cada vez mais pobres, estamos praticando crueldades. Quando maltratamos a terra, os rios, os oceanos e a natureza, estamos sendo cruéis. Quando não danos educação, escolas e ensino as nossas crianças ou não as fazemos sorrir, somos mais cruéis ainda. Quando desrespeitamos os idosos em seus direitos, os negros, e outras minorias ou quando retiramos a dignidade do envelhecimento somos mais cruéis ainda.

Quando nos tonamos egoístas, gananciosos, exclusivos somos cruéis. E, parece que esse é o grande legado da vida moderna e contemporânea. Esse mundo moderno, de moderno mesmo, só as práticas tecnológicas que muitas já estão se tornando violentas em si mesmas e se voltando contra a própria pessoa.

Eis o mundo moderno, cruel, gerando seres cruéis, desiludidos e sem esperança. Mas mesmo assim, haveremos de, sob a luz da bondade, da fraternidade, da amizade e da compreensão seguir a nossa história deixando rastros indeléveis de humanidade inspirados na indulgência, no amor, na felicidade, no altruísmo onde a crueldade não terá lugar.

 

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Entretenimento

Data: 29/06/2019

Visitas: 117

Palavras-chave: Crueldade

Fonte: Ruy Palhano

Big Systems
5162258 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 20 do mês 10 de 2019