• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - COLUNA DO SILVEIRA 1422

COLUNA DO SILVEIRA 1422

“O sacrifício que pensamos que fazemos ao Adorarmos a Deus, é um grão de areia no deserto, se levarmos em consideração o quanto Ele faz por  nós todos os dias, 24 horas por dia”.  Clélio Silveira Filho.(Clélio Silveira Filho)


olá, bom dia! Cá estamos nós batendo em sua porta com mais uma edição impressa, online e em PDF do Jornal AGORA Santa Inês, a de número 1422, cujo conteúdo repercute aqui e além fronteiras. Não é fácil fazer um jornal com a linha editorial que o AGORA tem. E muito principalmente numa crise do tamanho  da que vive o nosso País, onde tudo parece uma loucura! Um dia após outro, é seguido de rojões que espocam nos mais diferentes cantos do território brasileiro, mas, com mais força e profundidade no epicentro do furacão, que é Brasília. A bola da vez agora, é Sergio Moro, que a cada dia que passa, fica mais desmoralizado perante os que entendem de lei e apesar de não condenarem a Lava Jato, condenam os métodos nada republicanos pelos quais se chegou aos finalmentes dela. Não há como negar que houve sim, um verdadeiro assalto aos cofres públicos nos últimos governos brasileiros. Também não há como negar que a Constituição Brasileira foi “rasgada” para que se chegasse aos “gatunos”. Um erro não justifica outro. Sabendo-se agora dos métodos usados para se “enjaular” dezenas de políticos ladrões, que afanaram a Nação, não se pode concordar com a ilegalidade de tais métodos. Aqui nesta página, publicamos na íntegra, a Carta ao Leitor da edição deste  final de semana da Revista Veja, que igualmente a Folha de S. Paulo, destrincha a “forma ilegal” pela qual se colocou na cadeia os tidos como ladrões do erário público. Ora, não importa os meios, e sim os fins. Pode dizer alguém. E cá nós dizemos; importa sim! Assim como elogiamos a Lava Jato e Moro “trocentas” vezes, temos a missão de apontar – agora descoberto – as peripécias dele e membros do MPF para alcançar objetivos e fama. O que a Veja, que fez dezenas de capa com elogios à Lava Jato e a Moro,  está fazendo agora, é restabelecendo a verdade sobre o comportamento dos então envolvidos na operação; Moro comandava tudo, e combinava tudo com o Delton e companhia. Isso pode Arnaldo? Claro que não! A discussão que se trava lá em cima, a partir de Brasília, Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro, vai sacudir com as estruturas morais (mais ainda) do Brasil. A repercussão que já não é nada boa lá fora, a cada dia que passa, piora e muito. O que faz  a Folha de S. Paulo, a Veja, IstoÉ, Fórum, Crusoé, Band News, um pouquinho a Globo, é o que a imprensa deve fazer mesmo. As tais redes sociais – mais desacreditadas do que nunca, onde quem nunca fez nada pode comprar milhares ou milhões de seguidores – só repercutem as avessas, o que esses veículos de comunicação de credibilidade escrevem ou mostram através de fatos concretos.  Todo veículo de comunicação que se preza, tem um sítio, também chamado de site, onde publica e assina  o conteúdo dos seus veículos impressos ou televisivos. Estão, portanto, passivos de punições quando erram ou mentem. Isso é Imprensa verdadeira. Sobre “fuxicos” e “mexericos”, isso fica para quem não tem lá muito o que fazer. Na edição passada, aqui nesta Coluna, nos reportamos ao Governo (ou desgoverno) de Jair Messias Bolsonaro, aquele que prometeu que não faria isso ou aquilo, e agora faz tudo ao contrário. Na Coluna de hoje, abalizados pelo que analisamos sobre tudo o que lemos, pesquisamos e vimos nos últimos dias, nos reportamos  sobre o ex-herói Sergio Moro. Por certo vamos desagradar uma parcela dos nossos leitores, mas, até esses mesmos, um dia, haverão de nos dar razão. Nada aqui foi inventado, ou não tem embasamento. Tudo tem ancoradouro, de modos que não perderemos um minuto de sono pelo trabalho que, juramos um dia, iriamos fazer, doa a quem doer. Se por uma desdita da vida, estivermos enganados, haveremos de no futuro pedir desculpas e retificarmos o que escrevemos aqui, entretanto, lamentavelmente, tudo tem um fundo de verdade.  Se é comum que juízes, promotores e delegados troquem telefonemas e se consultem uns aos outros diante de atos cometidos por um  “acusado”, que mude-se então a Constituição Brasileira, e se inclua nela, um artigo em que isso seja permitido. No mais, leiam aí abaixo, a transcrição da Carta ao Leitor da Revista Veja que está nas bancas e nas mãos de milhões de assinantes desde ontem, sexta-feira. E para fechar mesmo,  rogamos a Deus, que Ele nos dê um belo dia, um bom final de semana e que nos abençoe a todos! Amém!

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Coluna-do-Silveira

Data: 06/07/2019

Visitas: 74

Palavras-chave: COLUNA DO SILVEIRA 1422

Fonte:

Big Systems
4705951 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 15 do mês 07 de 2019