• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - COLUNA DO SILVEIRA 1423

COLUNA DO SILVEIRA 1423

“Nada é impossível para Deus! Quando nos conectamos com Ele, alcançamos o impossível, o inimaginável, o improvável!  Se cremos nisso, abrimos caminho para Deus nos abençoar com Sua misericórdia e nos livrar das tribulações. Sem Deus....nem tentar!”.(Clélio Silveira Filho)


Olá, bom dia! Aqui estamos mais uma vez com mais uma edição supimpa (é o novo!) do Jornal AGORA Santa Inês, que circula nas três versões que o fazem ser um jornal diferente dos demais; a versão impressa, a online e a em PDF, as duas últimas percorrem o Brasil e o mundo. Lá na Itália, em Milão, tem quem leia o AGORA, em Bruxelas, na Bélgica, também. Já nas capitais brasileiras a gente pode começar por São Luís, Teresina, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba, Brasília, Goiânia, Palmas, Manaus, Belém, etc. Agora se formos aqui listar as cidades em que há leitores que recebem a versão em PDF do AGORA, esta página seria pequena para tal missão. E na internet, através do site: www.agorasantaines.com.br, aí não dá mesmo para relacionar. São cerca de 8 a 10 mil acessos dia. Vamos já fechar a  casa dos 5 milhões de acessos. O AGORA é difícil de fazer, mas é bem feito e vai longe, leva sua mensagem a milhares de quilômetros de verdade. Bom, esta é a edição do meio da semana, a de número 1423, que circula nesta quarta-feira, dia 10 de julho de 2019. Que todos tenham um excelente dia, que Deus nos abençoe a todos, amém!

 

JOÃO GILBERTO


Se tem uma coisa que eu jamais poderia deixar de comentar aqui nesta coluna, é a morte de um dos maiores gênios da música mundial, como escrevi comentando um post no Instagram, João Gilberto. Foi talvez um dos artistas sobre quem eu mais li, depois de Roberto Carlos, cuja vida foi destrinchada de frente para trás e de trás para a frente pelo grande amigo e escritor Paulo Sérgio Araújo nos livros Roberto Carlos em Detalhes e o Réu e o Rei, ambos me foram enviados pelo autor. O engraçado é que em um desses livros – verdadeira faculdade sobre a Música Brasileira da década de 50 a 2004 - um dos capítulos é dedicado exatamente a João Gilberto, o artista brasileiro inalcançável por qualquer um. Pois o Paulo César de Araújo teve a felicidade de se tornar amigo de João Gilberto e até foi convidado dele a assistir um show seu no Teatro Castro Alves em Salvador. Mas, não conseguiu falar mais do que duas vezes com Roberto Carlos, uma delas, foi tipo um “oi bicho!”, e  a outra diante de um juiz no tribunal em São Paulo, quando foi obrigado a tirar das prateleiras o livro Roberto Carlos em Detalhes. Já com João Gilberto, PCA falava quase todos os dias através de um orelhão na década de 80, quando este voltou a morar no Brasil. João Gilberto ganhou prêmios na década de 60, superando os Beatles, creiam nisso. Um homem que não cantava, sussurrava e seu silêncio era uma melodia para nossos ouvidos. Não foi um cantorzinho qualquer que perdemos. Não foi um músico qualquer, mais um dos maiores violonistas do mundo. Um dos compositores e interpretes respeitado em todos os continentes, e que fez o Brasil ser cantado em todos os idiomas do planeta. Esse foi João Gilberto, o artista que perdemos no sábado passado. Descansa em paz, o mais famoso de todos!  (Clélio Silveira)    

 

BEBEL GILBERTO

Em turnê nos Estados Unidos quando recebeu a notícia da morte do pai, João Gilberto, a cantora Bebel Gilberto concedeu entrevista ao Fantástico no domingo 7. Ela pediu para não se pronunciar sobre as disputas jurídicas que envolvem a família e comentou o legado do artista, um dos criadores da Bossa Nova, que morreu aos 88 anos, no Rio de Janeiro. “Ele queria ser homenageado como o maior de todos. Ele gostaria de ser lembrado assim”, disse Bebel. “Estou emocionada, mas não vou chorar na frente de uma câmera porque ele achava piegas, era um perfeccionista”, comentou. A filha declarou que nos últimos tempos João “estava muito quieto, magro, cansado e debilitado”, o que a deixava bastante preocupada. “Morreu em casa, super fraquinho. Meus dias eram estar em contato com ele ou quem estava com ele”, relatou a cantora, que disse que João e sua mãe, a cantora Miúcha, “agora se encontrarão no céu, pois ele não aguentava mais de saudade dela”. Questionada sobre a causa da morte do pai, não divulgada, ela disse acreditar que foram “causas naturais”.

 

JOÃO MARCELO

Também filho do cantor, João Marcelo Gilberto, comentou de Nova Jersey, onde vive, sobre o legado do pai. Em processo de renovação do visto americano, ele não estará presente no enterro do pai. “Uma das coisas que tocou muito no meu coração foi o tanto de pessoas que foram influenciadas pelo João. Dizem ‘eu sou músico por causa dele’. Esse é o jeito de ser imortal”, disse João Marcelo.

(Com informações de Veja Online)

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Coluna-do-Silveira

Data: 10/07/2019

Visitas: 444

Palavras-chave: COLUNA DO SILVEIRA 1423

Fonte: Com informações de Veja Online

Big Systems
4975813 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 20 do mês 09 de 2019