• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - Oficina Integrativa em Saúde do Trabalhador reúne técnicos dos CERESTs, da Atenção Primária e da Vigilância em Saúde

Oficina Integrativa em Saúde do Trabalhador reúne técnicos dos CERESTs, da Atenção Primária e da Vigilância em Saúde

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) realiza até esta quarta-feira (6) a 2ª Oficina Integrativa em Saúde do Trabalhador, em São Luís. Sob a coordenação do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest Estadual), a oficina reúne técnicos dos Cerest Regionais, da Atenção Primária, Educação e da Vigilância em Saúde dos 217 municípios maranhenses.

De acordo com o coordenador do Cerest Estadual, Luciano Mamede de Freitas Junior, o objetivo da oficina é fortalecer o combate ao trabalho escravo e demais doenças relacionadas ao trabalho. “A oficina é um momento dedicado para orientações sobre como melhorar as notificações e o preenchimento dos formulários, de forma a melhorar o diagnóstico dos problemas. No caso do trabalho escravo, para que possamos realocar o trabalhador resgatado no âmbito do convívio social e também dar suporte nos serviços do SUS de acordo com a necessidade médica do indivíduo. Assim, desde o estado até os municípios, iremos padronizar os procedimentos para que se atue com mais eficiência”.

O Cerest tem como foco o combate ao trabalho análogo ao escravo, o atendimento na atenção Primária sobre as doenças relacionadas ao trabalho e a notificações das doenças que por ventura venham a ocorrer, registradas no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN). Com a oficina, a equipe técnica do Cerest espera e contribuir para que o trabalho aconteça de forma padronizada e integrada. “Estamos aqui para somar com o Cerest já que a pessoa que é resgatada precisa de acesso aos serviços de saúde e esse atendimento precisa estar notificado corretamente. Na oficina de monitoramento ao trabalho escravo, as equipes do Cerest estão aprendendo mais sobre a ferramenta INTEGRA 2.0, que é usada no Maranhão para acompanhar as pessoas que são vítimas do trabalho análogo ao escravo, bem como suas famílias. E assim a SES contribui diretamente para o Programa Estadual de Enfretamento ao Trabalho Análogo a Escravidão e o Plano Estadual de Erradicação ao Trabalho Escravo no Maranhão”, explicou Daiana Coelho, consultora da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Entre os temas da oficina, a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (PNSTT), notificação de agravos e adoecimentos relacionados ao trabalho; instrumentalização dos profissionais para atuar e intervir corretamente em situações que apresentem risco à vida no ambiente labutar; identificar o perfil de vulnerabilidade, adoecimento e morte associados ao trabalho. “O Cerest trabalha no contexto de prevenção a saúde do trabalhador, e o trabalho análogo a escravidão tem a ver com nosso trabalho e é mais um leque que podemos abrir para trabalhar”, contou Patrícia Tocantins, representante do Cerest Regional São Luís.

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Regional

Data: 06/11/2019

Visitas: 90

Palavras-chave: Oficina Integrativa em Saúde do Trabalhador reúne técnicos dos CERESTs, da Atenção Primária e da Vigilância em Saúde

Fonte:

Big Systems
5361466 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 19 do mês 11 de 2019