• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - Prevenir é a melhor opção

Prevenir é a melhor opção

Desde criança que ouço a sábia expressão: prevenir é melhor que remediar. Em um bom sentido, significa que é melhor evitar uma doença, que permitir que ela chegue para ser tratada. Prevenção, em seu sentido lato, pode ser aplicada em quaisquer atividades humanas: medicina, direito, psicologia, segurança, engenharia, economia, e em uma dezena de outras atividades profissionais.

Em sendo aplicada em Medicina, comporta pelo menos três significados. Prevenção primária, secundária e terciária. A primária, corresponde às medidas ou ações com visam a evitar que algo venha a ocorrer para afetar a saúde, de um indivíduo ou a uma comunidade. A secundária, corresponde a medidas ou ações de enfrentamento à problemas já instaladas em uma pessoa ou comunidade. A prevenção terciária é mais complexa, correspondem ao conjunto de ações que visam reduzir a incapacidade imposta por um transtorno de forma a permitir que haja uma rápida e melhor reintegração do indivíduo à sociedade, aproveitando as capacidades remanescentes.

Aplicando-se em Psiquiatria, a expressão prevenção de recaída, estaremos nos referindo a um conjunto de estratégia, medidas e ações, de natureza médica e psicossocial, aplicada por diferentes técnicas e métodos, com o intuito de evitar o reaparecimento de diferentes doenças mentais, posterirormente a um tratamento. Recair, portanto, é retomar, vir a acontecer, reaparecer, um transtorno que fora tratada, parcial ou totalmente.

Em artigo anterior publicado nesse Jornal citei a depressão como exemplo de uma das doenças mentais que mais tendem a recair, apesar de todos os tratamentos a que esses enfermos se submetem. Só para terem uma ideia, quem teve uma crise de depressão na vida, terá 75% de chance de ter a segunda. Quem teve duas crises de depressão na vida terá 50% de chance de ter a terceira e quem teve três ou mais crises de depressão, terá mais de 90% de chance de ter uma quarta crise.

Daí porque nos tratamentos atuais das depressões, exige-se que o médico estabeleça, desde cedo, orientações para prevenir outras crises que poderão surgir, mesmo após o tratamento ter se finalizado.  Muito embora, se saiba, que os atuais tratamentos são promissores para tratar dessa doença pois os fármacos atuais antidepressores são cada vez mais efetivos, devemos sempre prevenir outras crises. Desde os primórdios da história da Psiquiatria, ainda com Areteu da Capadócia, século I AC, o tratamento da depressão sempre fora um tremendo desafio, entre outras coisas, por suas frequentes recaídas, mas hoje, por se saber que depressão por sua natureza é uma doença recorrente, poderemos evitar seu reaparecimento.

Graças a esses conhecimentos neurocientíficos e farmacológicos atuais e baseados em evidências médicas, não se pode pensar em tratar somente as crises agudas depressivas ou de outros transtornos psiquiátricos. Deve-se pensar acima de tudo, desde o início do tratamento, em prevenir recaídas, após os enfermos receberem alta médica. Em casos de depressão, como vimos acima, chega-se ao ponto desse enfermo ter 100% de chance de vir a ter muitas outras crises ao longo da vida. Só isso, ao meu ver, já seria o suficiente para se reforçar e recomendar estratégias de prevenção de recaídas para evitar esse adoecimento.

Veja que nos guidelines (orientações para se realizar os tratamentos), todos recomendam a adoção de prevenção de recaídas, independente do tratamento que seja oferecido a esses enfermos. A prevenção de recaída está sendo utilizada em muitas outras especialidades médicas, não é somente para depressão ou doenças mentais. Todas as doenças humanas que evoluem cronicamente, independentes de sua natureza, atualmente se recomenda essa estratégia para a pessoa não voltar a reapresentar a doença: doenças metabólicas, hipertensão arterial, diabetes e muitas outras.

No caso particular das doenças mentais, isso não foge à regra. Todas as grandes síndromes mentais, se não prevenirmos, se sucederão muitas vezes. Isso é aplicada a todas as condições psicóticas, entre essas a esquizofrenia, aos transtornos afetivo bipolar, outros distúrbios do humor com a depressão, outras transtornos da personalidade etc.

Só à guisa de informação, a Organização Mundial de Saúde – OMS, em seu relatório anual sobre doenças mentais/2014, mostrou que 45 % dos doentes depressivos recaem por desuso ou uso incorreto de seus medicamentos (interrupção do tratamento, utilização de subdotes, reduzido tempo de tratamento, doses irregulares, etc.). Ocorre que, se esses pacientes não tiverem chance de recair, mesmo não tomando seus medicamentos, não recairiam, portanto, se recaíram foi por que a recidiva está prevista no curso natural dessas doenças.

Os custos do tratamento são outro aspecto relevante. As famílias sabem que pesa no bolso custear o tratamento dessas doenças mentais. Pois, entre outras coisas, o tempo previsto de tratamento sempre é muito longo e caro. Se impedirmos, com prevenção de recaída, que a doença reapareça, será bem melhor para todos.

A resposta aos medicamentos é muito influenciada pela condição evolutiva dessas doenças. Quanto menor número de crises melhor será a evolução, melhor será sua recuperação e melhor a resposta aos medicamentos. Como são enfermidades que evoluem cronicamente, o binômio, prevenção de recaída e tratamento efetivo, são as ferramentas mais importantes para o manejo correto da maioria das doenças psiquiátricas.

Na realidade, só há vantagens em prevenirmos a cronificação desses doentes. Quanto mais crises, mais difícil de tratar, maior tempo de uso dos medicamentos, maiores custos financeiros e piores respostas aos tratamentos e, a recíproca é verdadeira. Devemos desde cedo, portanto, recomendar prevenção de recaídas aos nossos enfermos sempre, como um dos mais importantes recursos médicos e psicossociais para enfrentarmos tais problemas.

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Entretenimento

Data: 16/12/2019

Visitas: 20

Palavras-chave: Prevenir é a melhor opção

Fonte: Por Ruy Palhano

Big Systems
5750629 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 24 do mês 01 de 2020