• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - COLUNA DO SILVEIRA 1499

COLUNA DO SILVEIRA 1499

“Quando achamos que fomos abandonados por Deus, Ele nos surpreende com um olhar cheio de amor. Mas para sentir isso, precisamos olhar nos olhos Dele. E como se faz isso? Basta que fechemos os nossos olhos, e em oração, O veremos cheio de amor para nos dá. Veremos sim que Ele jamais nos abandonará”. Clélio Silveira Filho.

 

Olá, bom dia quarta-feira 6 de maio, de 2020. Cá estamos nós com mais uma edição impressa, online e eletrônica do Jornal AGORA Santa Inês, com circulação garantida aqui e além mares mesmo, pois até em Portugal tem gente lendo o AGORA na versão eletrônica. Mas por aqui tem a versão impressa, e todo o conteúdo desta edição está no site www.agorasantaines.com.br. Site este que só este ano de 2020, já teve mais de UM MILHÃO E DUZENTOS MIL ACESSOS. Isso mesmo que o amigo leu aí. O que publicamos aqui, percorre o mundo e fica registrado nos anais da história de Santa Inês, da região, do Maranhão, Brasil e Mundo, pelo que somos muitíssimos agradecidos aos nossos milhares de leitores. Esta edição traz a integra do Decreto Municipal, que revoga o Decreto 18/2020 que autorizava a abertura por até 7 horas do comércio local. Toda a história desse imbróglio segue contada nas paginas seguintes, principalmente nas 3,4, 5 e 6. Mas tem muito mais em nossas páginas. Guarde bem esta edição depois de lê-la toda, é a edição 1499. A próxima obviamente, é a de número 1.500. E pensar que teve autoridade na época que lançamos a primeira edição do AGORA que profetizou (ainda bem que a figura nunca foi profeta mesmo) que não passaríamos da terceira edição. Mas, Deus é mais, e a cidade de Santa Inês merece e nos abre as portas para que, sob as bênçãos de Deus, mesmo em tempos tão difíceis, possamos seguir nossa caminhada. Aqui uma família trabalha para que todas as famílias de Santa Inês e região, sejam no mínimo respeitadas. A Imprensa pode, e pode muito! Mesmo que o presidente da Republica não queira. Falaremos sobre este assunto mais adiante. Por agora, rogamos a Deus que nos abençoe a todos nesta quarta-feira, e que suas bênçãos nos alcancem onde estivermos. E neste mês Mariano, não custa nada rezar uma Ave Maria e ficar em casa. Amém!

PENINHA E SUA LIVE

O grande amigo Peninha, um dos maiores compositores e interpretes brasileiros, autor de mais de 500 músicas e dezenas de hits que ficaram nas paradas de sucessos e foram temas de novelas, fez uma live na tarde de domingo, das 16 às 18:30 direto de sua residência em Alphaville, São Paulo. Milhares de pessoas acompanharam. Todas só elogios ao grande amigo/irmão, como nos tratamos. Durante a live ele mandou um abraço aqui para o Colunista e  falou de nosso Jornal, e lembrou que “ele Clélio Silveira, é o pai da Isabella, grande artista”. Ficamos na saudade aguardando a próxima live dele. Ah, não teve cachaça e nenhuma bebida alcoólica, nem antes, nem durante, e acho que nem após a transmissão da live que nos encheu de boas lembranças, e nos fez reviver uma das melhores páginas da verdadeira música brasileira. Obrigado Aroldo! Que Deus continue te abençoando e nós todos!

 

CALA A BOCA!!!!

Hoje, 5 de maio do ano de 2020, em plena democracia, ouvimos um presidente da República Brasileira mandando por duas vezes, um repórter que lhe questionava sobre algum assunto do interesse da Nação, que ele calasse a boca. Enfurecido e totalmente descontrolado o presidente “terrivelmente” se voltou para o repórter e esbravejou: “Cala a boca!!”, e não satisfeito voltou a repetir mais adiante: “Cala a boca!!!”. Amigos ou leitores em geral que estão me dando a honra de ler esta Coluna, eu sou jornalista há quase 52 anos, vivi a ditadura, convivi com pelo menos um presidente na ditadura, o ultimo General João Figueredo, e bem antes fui repórter setorista no Congresso Nacional, em Brasília, no final dos anos 70.  Confesso que eu nunca vi alguém tão despreparado, tão arrogante, tão desequilibrado no comando desta  Pátria Gentil. Mais adiante trabalhei em veículos de comunicação do Sistema Anhanguera no Centro Oeste, no então Estado de Goiás. Vários deles. Fui presidente por dois anos e meio da AIRT, a mais importante e poderosa  associação de Imprensa do interior do Maranhão, e fui vice-presidente regional da FAIBRA, a então Federação das Associações de Imprensa do Brasil, presidida na época por minha saudosa amiga Célia Câmara, viúva do Comendador Jaime Câmara, que esteve me prestigiando em Imperatriz por pelo menos duas vezes. Sou fundador de vários jornais, inclusive este que vai completar 19 anos no dia 2 de setembro vindouro. Tenho história reconhecida na profissão, e talvez eu seja o único jornalista a contar 50 anos de atividade na comunicação no Maranhão, com direito a honraria de ter recebido em sessão solene única na Assembleia Estadual do Maranhão a Comenda Manuel Beckmann em abril de 2018, fato este registrado nos anais daquela casa legislativa. Bom, não há espaço para ficar aqui me auto-afirmando, disso ou daquilo, a minha companheira de bancada na televisão, a saudosa (e imortal) Neneca Mota Mello já me dizia que “elogio de boca própria é vitupério”, porém amigos e leitores, em plena pandemia em que vive o país, não precisamos do desserviço que vem desqualificando a Nação Brasileira, via o provável (com todo respeito) esquizofrênico presidente  Jair Messias Bolsonaro. Eu sou da Imprensa...eu faço imprensa desde a minha saída da adolescência, e fui contemporâneo de muitos que já partiram e convivi com muitos que ainda estão na labuta, e se tem uma coisa que eu aprendi durante esses quase 52 anos de imprensa, foi que esta profissão não ficou para covardes! Só a exerce que tem coragem, e medo não faz parte do nosso dia a dia, e isso tenho deixado claro aqui, desde que voltei para Santa Inês em 2003. O Senhor Jair Messias Bolsonaro, não me representa. Aliás, nunca me representou! Como também nunca me enganou. Desde antes de se lançar candidato à presidente que alertei a amigos e leitores sobre o total desequilíbrio do pai dos  01,02,03 e 04, como chama seus filhos amestrados e paparicados por ele. Na verdade, talvez, os que mandam mesmo na presidência. Na época da eleição, reiterei aqui meu ponto de vista sobre ele, e até alguns amigos, empresários, etc. se “queixaram” disso, mas não deixaram de ser meus amigos. Ele tomou posse e o Brasil começou a girar feito uma roda gigante. Hora por cima, hora por baixo. E não foi preciso nem um ano e meio para chegarmos  diante do abismo, em que ele quer nos jogar, ou pelo menos suas atitudes grosseiras, sem respaldo, sem nexo algum, já que seu olhar de “Tonhão da Lua” e sua atitudes, e etc. indicam isso. Atitudes, amigos e leitores, somente vistas em alguém totalmente desequilibrado. Felizmente as Forças Armadas já sinalizaram que em caso mais doloroso adiante, ficarão ao lado da democracia, do povo e não de Jair Messias (que não faz milagres, ainda bem!) Bolsonaro. De minha parte não me acovardarei e nem deixarei de agora por diante, de me reportar com mais veemência sobre as arbitrariedades que Sua Excelência Bolsonaro, presidente de um país de regime democrático, vem cometendo todos os dias, sem faltar um dia sequer. É como se todo dia tivéssemos a obrigação de assistir a um espetáculo dantesco de um mau (e mal) ator, que atrelado a fanáticos e ensandecidos “apoiadores” quer transformar este país num regime anárquico, ou retornar à ditadura. Não! E não! Sou Imprensa e sei que calar diante disso, é aceitar retroceder a 1964. Não!!! De novo!! E para fechar este desabafo, quero deixar claro que não sou da esquerda, da direita do centro, de alto ou debaixo, sou Brasileiro...cidadão Brasileiro com mais de 50 anos de serviços prestados na profissão que Deus me deu. Este mesmo Deus que não fez covarde, medroso, frouxo, e que também me deu discernimento para saber o que fazer....o que escrever....e o que falar e respeitar a quem nos respeita. Nunca votei no PT. Nunca votei no Lula e a Justiça, se depender de mim, pode punir com prisões, multas e o que mais puder, àqueles que saquearam o país durante anos. Mas isso não dá o direito de o presidente nos tratar como se fossemos seus soldados, desprotegidos dos diretos que eles tem. “Cala a boca!!!”, hoje não se diz nem para os nossos filhos. Por isso não lhe direi “Cala a boca você, presidente!”.

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Coluna-do-Silveira

Data: 06/05/2020

Visitas: 135

Palavras-chave: COLUNA DO SILVEIRA 1499

Fonte:

Big Systems
6452075 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 30 do mês 05 de 2020