• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - COLUNA ESTADO DE ALERTA 1499

COLUNA ESTADO DE ALERTA 1499

FECHADO OUTRA VEZ

Sabemos das dificuldades pelas quais passa a economia brasileira em todos os seus aspectos, bem como a economia mundial, entretanto, porém, sem achismo, convém que reconheçamos que o Brasil está agora no epicentro do covid19, o corona-vírus. E morrer ninguém quer.

UMA COISA É BOA

E outra é melhor. Ganhar dinheiro e muito bom. Desfrutar dos benefícios que ele nos traz, melhor ainda, principalmente com saúde. Mas, muito melhor do que isso, é seguir vivendo. É viver, mesmo com o mínimo de recursos e a saúde possível. Daí que a volta (dos que não foram) do fechamento total do comércio de Santa Inês, é sim uma medida acertada. Tem razão a Justiça e tem razão a prefeita Vianey que revogou o Decreto 18/2020 que contemplou os nossos corajosos empresários, mas colocou na estatística dos contaminadas como o coronavírus, algumas centenas de seres humanos, que igualmente nós, não querem morrer. Aliás, se perguntar aí quem quer morrer ou ver um parente seu morrer que dê o primeiro passo, vamos virar pedra e não veremos ninguém se habilitar a isso.

CASOS DE ÓBITOS

O trabalho de pesquisas para fechar esta edição foi muito grande. Foi uma das edições mais trabalhosas que já fizemos. Ouvimos autoridades, entrevistamos empresários, pessoas comuns nas ruas, juristas, vereadores e passamos as vistas em pelo menos uma centena de recomendações e de números realmente assustadores. O dinheiro vale muito, mas não vale uma vida. Elas não estão à venda nas prateleiras dos supermercados, e nas prateleiras das farmácias o que encontramos é algo que até pode nos curar de algumas mazelas, mas lá também não estão à venda VIDAS.

UMA FORA DA CURVA

Queiram ou não entender assim, mas a abertura do comércio em geral ( abriu quem tinha direito e quem não tinha, e pelo tempo que queria) foi uma fora da curva. Em Imperatriz, hoje, ao lerem uma matéria sobre o retorno do fechamento do comércio em Santa Inês, vários colegas de imprensa se surpreenderam ao saber que aqui o comércio estava aberto. “Amigo, aqui em Imperatriz não tem nem data para abrir, é tudo fechado e ponto!”.

SÃO LUÍS E BELÉM

A nossa capital, São Luís, e as cidades em seu entorno, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Limiar, estão vivendo o famoso Lockdown, ninguém entra ninguém sai e ninguém abre nada a não ser os serviços essências, mesmo! E agora o governador do Pará decretou o tal  Lockdown na capital  e em mais três cidades do interior. E, enquanto isso a gente pulava de 3....7....10....30....70....120....200....215....330  e 415 casos notificados de pessoas contaminadas com o coronavírus e ao menos dois óbitos, muito embora não conste no boletim de hoje, 5 de maio, da Secretaria Municipal de Saúde. Mas isso é fato!

RECORDE NO INTERIOR

Esses números (prestem à atenção!) nos fizeram recordistas de casos notificados no interior do Maranhão neste 5 de maio. Imperatriz com três vezes e meia a população de Santa Inês, registrava 403 até  casos até este 5 de maio, contra os nossos 415, com 197 acompanhados contra 137 por lá. Estamos brincando? Ou caímos na onda do Bolsonaro, o imortal?

NA MESMA BALADA

E hoje, 5 de maio, a Câmara Municipal de Santa Inês por problemas técnicos, em sessão extraordinária, não votou o Projeto de Lei 05, que autoriza o município contratar por seis meses, médicos, enfermeiros, maqueiros e motoristas, todos para trabalharem exclusivamente no tratamento de pessoas com o coronavírus em Santa Inês. Isso deve acontecer nesta quarta-feira (6), às 9 da manhã.

FALTA MESMO, MAS....

É bem verdade que aqui ficamos devendo muito ainda, no aspecto saúde para a população. O detalhe é que Santa Inês atende a dezenas de municípios da região. Não são só os 90 mil habitantes daqui. Basta passar uns 30 minutos no pátio do Hospital Municipal, e veremos ambulâncias chegando de Zé Doca (ou mais adiante) pra cá. De Alto Alegre do Pindaré, Santa Luzia, Monção, Pio XII, etc. Na contrapartida não se vê ninguém saindo daqui para se tratar nesses municípios, o que os deixa mais à vontade e com mais recursos para tratar dos seus, praticamente só dos seus. Isso aqui não é uma defesa da prefeita...é uma realidade que só não vê, quem não quer.

 

OITO LEITOS CLÍNICOS

Muito provavelmente ainda esta semana, serão inaugurados oito leitos clínicos  em separado no Hospital Municipal de Santa Inês, exclusivos para receber pacientes confirmados com o coronavírus ainda em fase de possível tratamento hospitalar. Os leitos não são de UTI e nem tem respiradores e outros equipamentos, mas vai amenizar um pouquinho a situação, até ser feita regulagem desse paciente para o Hospital Macrorregional, etc. E uma coisa é certa: nenhum paciente de outros municípios vai morrer na porta do hospital de Santa Inês por sonegação de um desses oito leitos. Isso seria uma crueldade imperdoável! Logo, o que serve pra cá, serve pra toda a região. Se não é muito....quem sabe com o fechamento (se respeitarem) do comércio total, deixando só os serviços realmente essenciais, seja pelo menos o mínimo para salvar algumas poucas vidas.

 

PRA TERMINAR...

Ah, a Prefeitura de Santa Inês precisa investir também mais no Departamento de Comunicação para que este não deixe a população sem saber o que ela, a Prefeitura está fazendo. Em qualquer tempo, e principalmente em tempos de pandemia, qualquer informação (como tem muitas que o povo não sabe, pois não lhe foi comunicado) é primordial. Boa ou ruim, a informação, o povo tem o direito de saber.

 

DESCULPEM

Hoje vamos mesmos circular sem o CHUMBO QUENTE, aliás, o que está escrito aí em cima já passa da medida do Chumbo quente. Fomos!!!!

 

 

FECHADO OUTRA VEZ
uSabemos das dificuldades pelas quais passa a economia brasileira em todos os seus aspectos, bem como a economia mundial, entretanto, porém, sem achismo, convém que reconheçamos que o Brasil está agora no epicentro do covid19, o corona-vírus. E morrer ninguém quer. 
UMA COISA É BOA 
uE outra é melhor. Ganhar dinheiro e muito bom. Desfrutar dos benefícios que ele nos traz, melhor ainda, principalmente com saúde. Mas, muito melhor do que isso, é seguir vivendo. É viver, mesmo com o mínimo de recursos e a saúde possível. Daí que a volta (dos que não foram) do fechamento total do comércio de Santa Inês, é sim uma medida acertada. Tem razão a Justiça e tem razão a prefeita Vianey que revogou o Decreto 18/2020 que contemplou os nossos corajosos empresários, mas colocou na estatística dos contaminadas como o coronavírus, algumas centenas de seres humanos, que igualmente nós, não querem morrer. Aliás, se perguntar aí quem quer morrer ou ver um parente seu morrer que dê o primeiro passo, vamos virar pedra e não veremos ninguém se habilitar a isso. 
CASOS DE ÓBITOS 
uO trabalho de pesquisas para fechar esta edição foi muito grande. Foi uma das edições mais trabalhosas que já fizemos. Ouvimos autoridades, entrevistamos empresários, pessoas comuns nas ruas, juristas, vereadores e passamos as vistas em pelo menos uma centena de recomendações e de números realmente assustadores. O dinheiro vale muito, mas não vale uma vida. Elas não estão à venda nas prateleiras dos supermercados, e nas prateleiras das farmácias o que encontramos é algo que até pode nos curar de algumas mazelas, mas lá também não estão à venda VIDAS. 
UMA FORA DA CURVA 
uQueiram ou não entender assim, mas a abertura do comércio em geral ( abriu quem tinha direito e quem não tinha, e pelo tempo que queria) foi uma fora da curva. Em Imperatriz, hoje, ao lerem uma matéria sobre o retorno do fechamento do comércio em Santa Inês, vários colegas de imprensa se surpreenderam ao saber que aqui o comércio estava aberto. “Amigo, aqui em Imperatriz não tem nem data para abrir, é tudo fechado e ponto!”. 
SÃO LUÍS E BELÉM
uA nossa capital, São Luís, e as cidades em seu entorno, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Limiar, estão vivendo o famoso Lockdown, ninguém entra ninguém sai e ninguém abre nada a não ser os serviços essências, mesmo! E agora o governador do Pará decretou o tal  Lockdown na capital  e em mais três cidades do interior. E, enquanto isso a gente pulava de 3....7....10....30....70....120....200....215....330  e 415 casos notificados de pessoas contaminadas com o coronavírus e ao menos dois óbitos, muito embora não conste no boletim de hoje, 5 de maio, da Secretaria Municipal de Saúde. Mas isso é fato!
RECORDE NO INTERIOR
uEsses números (prestem à atenção!) nos fizeram recordistas de casos notificados no interior do Maranhão neste 5 de maio. Imperatriz com três vezes e meia a população de Santa Inês, registrava 403 até  casos até este 5 de maio, contra os nossos 415, com 197 acompanhados contra 137 por lá. Estamos brincando? Ou caímos na onda do Bolsonaro, o imortal? 
NA MESMA BALADA 
uE hoje, 5 de maio, a Câmara Municipal de Santa Inês por problemas técnicos, em sessão extraordinária, não votou o Projeto de Lei 05, que autoriza o município contratar por seis meses, médicos, enfermeiros, maqueiros e motoristas, todos para trabalharem exclusivamente no tratamento de pessoas com o coronavírus em Santa Inês. Isso deve acontecer nesta quarta-feira (6), às 9 da manhã. 
FALTA MESMO, MAS.... 
uÉ bem verdade que aqui ficamos devendo muito ainda, no aspecto saúde para a população. O detalhe é que Santa Inês atende a dezenas de municípios da região. Não são só os 90 mil habitantes daqui. Basta passar uns 30 minutos no pátio do Hospital Municipal, e veremos ambulâncias chegando de Zé Doca (ou mais adiante) pra cá. De Alto Alegre do Pindaré, Santa Luzia, Monção, Pio XII, etc. Na contrapartida não se vê ninguém saindo daqui para se tratar nesses municípios, o que os deixa mais à vontade e com mais recursos para tratar dos seus, praticamente só dos seus. Isso aqui não é uma defesa da prefeita...é uma realidade que só não vê, quem não quer.
OITO LEITOS CLÍNICOS 
uMuito provavelmente ainda esta semana, serão inaugurados oito leitos clínicos  em separado no Hospital Municipal de Santa Inês, exclusivos para receber pacientes confirmados com o coronavírus ainda em fase de possível tratamento hospitalar. Os leitos não são de UTI e nem tem respiradores e outros equipamentos, mas vai amenizar um pouquinho a situação, até ser feita regulagem desse paciente para o Hospital Macrorregional, etc. E uma coisa é certa: nenhum paciente de outros municípios vai morrer na porta do hospital de Santa Inês por sonegação de um desses oito leitos. Isso seria uma crueldade imperdoável! Logo, o que serve pra cá, serve pra toda a região. Se não é muito....quem sabe com o fechamento (se respeitarem) do comércio total, deixando só os serviços realmente essenciais, seja pelo menos o mínimo para salvar algumas poucas vidas. 
PRA TERMINAR... 
uAh, a Prefeitura de Santa Inês precisa investir também mais no Departamento de Comunicação para que este não deixe a população sem saber o que ela, a Prefeitura está fazendo. Em qualquer tempo, e principalmente em tempos de pandemia, qualquer informação (como tem muitas que o povo não sabe, pois não lhe foi comunicado) é primordial. Boa ou ruim, a informação, o povo tem o direito de saber.
DESCULPEM
uHoje vamos mesmos circular sem o CHUMBO QUENTE, aliás, o que está escrito aí em cima já passa da medida do Chumbo quente. Fomos!!!!

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Politica

Data: 06/05/2020

Visitas: 149

Palavras-chave: COLUNA ESTADO DE ALERTA 1499

Fonte: DA EDITORIA DE POLÍTICA

Big Systems
6419095 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 27 do mês 05 de 2020