• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - 12 DE MAIO – DIA INTERNACIONAL DA ENFERMAGEM

12 DE MAIO – DIA INTERNACIONAL DA ENFERMAGEM

As profissões geralmente trazem em seu nome as “coisas” de que se ocupam.

 

O ourives tem a ver com ouro. O joalheiro, com joias. O dentista ou odontólogo, com dentes. O ferreiro, com ferro. O engraxate, com graxa. O pedreiro, com pedra. Enfim, quase todos têm, no nome da profissão, o objeto de sua ocupação.

 

Pois enquanto muitas profissões trazem uma “coisa”, a Enfermagem revela uma “condição”.

 

O profissional da Enfermagem sabe que, ao cuidar da condição, da situação, está cuidando do indivíduo, da pessoa.

 

A beleza, compromisso e humildade da Enfermagem está presente não só na formação do profissional quanto na formação da palavra: “enfermagem” tem origem no adjetivo latino “firmus” (clássico) ou “firmis” (popular), que era a qualidade da pessoa que estava “firme”, tanto no aspecto físico (saúde) quanto no moral (caráter). Assim, “firmus” / “firmis”, além de “firme”, era sinônimo de “forte”, “sólido”.

 

O contrário de “firmus” / “firmis” --  ou seja, a condição de não estar firme, forte, sólido – é “infirmus” / “infirmis”, isto é, fraco, debilitado, adoentado.  O prefixo latino “in-” muda o sentido da palavra à qual ele é anteposto. Daí vem o verbo latino “infírmo” / “infirmatum” / “infirmare”, com o sentido de “enfraquecer”, “danificar” etc.

 

E como se chegou à palavra “enfermagem”? À palavra-base “firmus” (firme) juntou-se o prefixo “in-” (não): “infirmus” (não firme, fraco). Depois, juntou-se outro elemento linguístico, o sufixo francês “-age”, formador de substantivos que têm origem em verbos ou nomes e que, por sua vez, vem do sufixo latino “-aticu”. Em português, isso resultou em “-agem”.

 

Assim, somando “in-” (que virou “en-” na Língua Portuguesa,) mais “firmus”, mais “-age”, chegou-se a “enfermagem”, palavra registrada em português desde 1913  --  sete séculos antes, no século 13, já existiam o verbo “enfermar” (ficar ou cair doente), o substantivo e adjetivo “enfermo” e os termos “enfermaria”, “enfermeira” / “enfermeiro” e “enfermidade”. Já o adjetivo “enfermiço” (com jeito de doente, doentio) é do ano 1767 em português.

 

Portanto, na história da palavra, a beleza da profissão: a Enfermagem traz no seu nome não uma “coisa”, não uma parte do corpo, mas, sim, a condição dele, a situação, o estado. É como se a Enfermagem reafirmasse a todo instante em seu nome aquilo que seus profissionais confirmam com seus atos  --  cuidar, tratar, servir: cuidar do ser humano que não está firme, tratar do que o debilita, servir para o restabelecimento da saúde.

 

“Enfermagem” não é apenas um nome. Grávida em si, a palavra diz a quem serve: aos fracos  -- os mesmos de que, nas bem-aventuranças, é feito o reino dos Céus. É como se o versículo bíblico do livro de Mateus (11, 28) fosse recitado pelo Maior dos Enfermeiros:

 

 

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.”

 

*

 

A Enfermagem é profissão que nasceu feminina: foi Florence Nightingale que desenvolveu as bases profissionais da Enfermagem.  Além de enfermeira, foi estatística e escritora. Era filha de rica família inglesa, sua nacionalidade, ainda que nascida em Florença, na Itália, de onde veio seu prenome. Mesmo não sendo, na época, uma atividade “digna” e mesmo sendo de família milionária, Florence preferiu servir a servir-se. Ela nasceu em 12 de maio de 1820 e faleceu aos 90 anos, em 13 de agosto de 1910, em Londres. A data de seu nascimento é o Dia Internacional da Enfermagem.

 

No poema para a enfermeira, a homenagem a todos os profissionais da Enfermagem:

 

ENFERMEIRA

 

Quem socorre aquela bela, meiga enfermeira

que tanto corre, corre tanto, em seu dia a dia

e quase sempre toda a noite, a noite inteira

de gentes, sofrimentos e rara alegria?

 

Ah enfermeiras!... Florence... Ana Neri...

História... ideal... trabalho... tradição...

O que quer que uma enfermeira espere

quando se cansa, quem lhe dá a mão?

 

Quem ou o que lhe dá ânimo quando desanimada?

Quando entre noites e plantões de feridas e dores

o que mais deseja é abraço, colo, boa risada

e -- é pedir demais? – bons odores, sabores, amores...

 

EDMILSON SANCHES.

[email protected]

 

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Entretenimento

Data: 12/05/2020

Visitas: 433

Palavras-chave: 12 DE MAIO – DIA INTERNACIONAL DA ENFERMAGEM

Fonte: EDMILSON SANCHES

Big Systems
6451959 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 30 do mês 05 de 2020