Agora Santa Inês - “Nós Vamos Invadir sua praia”

“Nós Vamos Invadir sua praia”

"A Ponta d"Areia é a praia mais popular de São Luís, a de mais fácil acesso à população, desde sempre. Perto do centro da cidade, fácil de chegar de busão ou a pé. Na minha adolescência, ia todos os domingos farofar por lá com as colegagens. Torrar ao sol, lambuzada de bronzeador de beterraba com óleo, que era vendido em saquinhos, lá mesmo. E como era bom!

Quando começou a virar "península", e ainda antes, quando chegaram os grandes edifícios plantados ali de forma irregular, pela especulação imobiliária e a conivência de políticos matreiros bem conhecidos na época, a nossa prainha ficou insuportavelmente poluída, pois a quantidade de cocô de classe média que era e ainda é despejada diretamente no mar, é algo absurdo e nunca resolvido. Agora, os "peninsuleiros" acham que têm um bairro chique para chamar de seu porque compraram uma paisagem lindíssima para verem das suas janelas e uma praia particular, onde pobre não deve entrar.

        Ora, antes de comprarem seus apês caríssimos numa praia popular, cercada de comunidades onde sempre viveram pessoas simples, o povo, pensassem que teriam de conviver com essa realidade, que é a realidade de um país extremamente desigual, onde há pouca gente com muito dinheiro (alguns só acham que têm), mas principalmente, muita gente com pouco, pouquíssimo ou nenhum dinheiro. E que essa grande maioria vive nas comunidades periféricas. E que uma dessas comunidades é a praia da Ponta d"Areia, a mesma que querem higienizar e transformar, ridiculamente, em Península.

Empresários de má-fé, colocam preços abusivos nos seus produtos para assim manterem longe os pobres que "insistirem em frequentar sua praia particular". Ora, ora...desde quando nós nos preocupamos com comida cara de bar se temos nossa abençoada farofinha e nossa garrafa pet com água pra beber, sem ter que gastar um tostão nessas bodegas de luxo, enriquecendo ainda mais seus donos?

Há anos não frequento essa praia linda, por causa da poluição extrema. Ela é imprópria para banho, graças aos dejetos burgueses, que são tão sujos e mal- cheirosos quanto qualquer um. Mas há quem não dê a mínima para isso e frequente mesmo assim. Está no seu direito de ir e vir e pegar sua micose, quem liga? E, afinal de contas, praias são territórios de livre trânsito. A discussão é, até onde essa ridícula elite escravocrata brasileira é capaz de ir para continuar perpetuando sua tremenda estupidez?!!

#segregação   #espaçopúblico #burguesia

 

Quem é Rosa:

 

Meu nome artístico é Rosa Ewerton Jara. É o nome que me basta. Nascida em Cajapió, em 1964, registrada em Pedreiras, onde passei minha primeira infância, e crescida e amadurecida em São Luís, de onde saí uma vez e para onde voltei e permanecerei fazendo minha arte até quando me for permitido pelas Leis da Natureza. Sou atriz de teatro e cinema. No teatro, iniciei aos 15 anos, em 1979.

O teatro é minha casa e minha escola. Todo o aprendizado que trago como atriz vem do teatro e da minha voracidade como leitora da boa literatura. Já atuei em muitos espetáculos ao longo desses mais de quarenta anos de carreira. O cinema é uma antiga paixão que só há pouco tempo pôde começar a ser satisfeita, pois essa linguagem chegou a, relativamente, pouco tempo no Maranhão.

Já tive, entretanto, a fortuna de participar de alguns filmes como, por exemplo, Flor de Abril (Cícero Filho), O Signo das Tetas, As Órbitas da Água, Boi de Lágrimas e Punga (Frederico Machado), Sob Um Novo Olhar (Marconi Franco), Vento Menino (Edemar Miqueta), Aquarela (Al Danúzio e Thiago Kistenmaker). Com este último filme, que é um curta-metragem, ganhei prêmios de melhor atriz em três festivais de cinema, no Maranhão e no Ceará.

Nos últimos anos, tenho feito parte de dois grupos em São Luís, o Grupo Xama Teatro, no qual participo do espetáculo As Três Fiandeiras, e o Núcleo Atmosfera de Dança-Teatro, no qual estou participando da montagem do espetáculo Beleza e Fúria, baseado na obra dos artistas maranhenses Marlene Barros e Marçal Athayde. Estamos reinventando a maneira de fazer arte durante esta terrível pandemia. Vejamos, lá adiante, no pós-pandemia, o que nos aguarda.

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Entretenimento

Data: 30/11/-0001

Visitas: 325

Palavras-chave: “Nós Vamos Invadir sua praia”

Fonte:

Big Systems
10958978 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 27 do mês 05 de 2022