• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - COLUNA DO SILVEIRA 1542

COLUNA DO SILVEIRA 1542

“Não desanime diante da possibilidade de enfrentar uma tempestade. Recorra a Jesus que fez o mar se acalmar quando tudo parecia que estava perdido”. Do Livro Gotas de Reflexão Espiritual de Autoria de Clélio Silveira Filho.

 

Bom dia quinta-feira, 8 de outubro de 2020! Bom dia “meus povos e minhas povas”, como dizia o saudoso e folclórico prefeito de Pindaré Mirim Mundico Rego lá pelo final da década de 50 e comecinho da de 60, cujos parentes ainda convivem em nosso meio para contar a história de certo. Mundico Rego, um prefeito que não dispensava um palitó, é um dos personagens de mais histórias na história de Pindaré Mirim desde a sua fundação. Na época todo o território dos municípios de Santa Inês, Bela Vista, Igarapé do Meio, Bom Jardim e salvo engano Santa Luzia, fazia parte do município de Pindaré. Mas era só mata fechada. As únicas formas de se sair de Pindaré era de avião “teco-teco” com vários voos diariamente, de lancha (três dias de viagem para São Luís, ou uma estradinha de quatro metros de largura na direção de Bacabal, pelo povoado de Santa Inês. No começo da década de 60 já dava pra se chegar até Santa Luzia do Tide, onde se matava um todo dia e já se deixava o outro amarrado para morrer no dia seguinte (Cruz Credo!!). E eu com meus 9 ou 10 anos morei por lá e via todo dia o desfile de caixões no rumo de um cemitério improvisado. Pois bem, mas isso não tem nada a ver com Mundico Rego, cuja foto em publico nesta Coluna. A lembrança dele me veio por conta de um parente dele que mora em Teresina e por conta do colecionador de fotos históricas de Santa Inês, Osvaldo Fontenelle, que vem prestando um grande serviço à cidade de Santa Inês, contando nossa história em fotos. E aqui eu publico uma foto da coleção dele, onde o prefeito Mundico Rego aparece com seu primo Fábio Rego. A última vez que gastei quase uma hora lembrando as histórias (tudo verdade mesmo!) de Mundico Rego, acho que foi em 2014, quando a então governadora Roseana Sarney fez uma parada no Aeroporto João Silva, e ficamos os dois lembrando do folclórico Mundico Rego. Roseana sabia todas as “tirinhas” do prefeito, vez que seu pai, o presidente Sarney, contava tudo pra ela. Então, enquanto ela aguardava o Helicóptero voltar de um certo lugar, ela contava uma....e eu contava outra. Foram tantas que faltou foi tempo, mas não faltaram histórias do grande Mundico Rego. Talvez alguém, por aqui, algum dia escreverá um livro sobre ele. Seria um resgate e tanto da história de Pindaré e Santa Inês. Confira a foto aí:


QUANDO O "CARA" JÁ TRAZ NO DNA

A comunicação e a curiosidade pela política. Ser jornalista é vocação. Aí estou nessa foto do começo do ano de 1969 (obrigado Osvaldo Fontenelle) quando da posse do primeiro prefeito eleito de Santa Inês e dos primeiros vereadores. Eu tinha só 15 anos...ia completar 16 três ou quatro meses depois. E o que eu estava fazendo aí? Digamos que eu era o chefe do cerimonial....comandava o microfone. Eu era locutor. E fui na eleição do ano anterior (68) na campanha que elegeu Manoel Pesão em Pindaré. Só que eu era contratado de uma empresa que trabalhou para o candidato que perdeu para Pesão, João Haickel. Pois é.... é muito difícil contar a história de Santa Inês e Pindaré sem citar o meu nome, sem falsa modéstia.  Obrigado Deus pelos meus 67 anos! Ah...os cabelos longos eu os usei desde os 14 anos até quase 30. De quando em vez eu os deixo crescer como em 2018, por exemplo. No meu Instagram @cleliosilveira tem várias fotos onde estou de cabelos longos.

 E A EDIÇÃO?

Bom  esta é a Edição 1542 Impressa e online do Jornal AGORA Santa Inês, com 20 páginas, que a essas alturas já está percorrendo o mundo. Pelo menos nas versões eletrônica em PDF e pelo aplicativo Telegram. Até as 8 da manhã segue para as rotas de assinantes e de instituições públicas a edição impressa. E a partir das 10:30 da manhã, todo conteúdo no site: www.agorasantaines.com.br. Rogo a Deus que ele nos abençoe a todos nesta quinta-feira, e que suas bênçãos nos alcancem onde estivermos. Amém! Ah, a edição de sábado será unicamente 100% online.

 

DIA DO COMPOSITOR

E pra fechar a Coluna eu quero prestar uma homenagem aos compositores de Santa Inês, pelo Dia do Compositor que foi ontem, 7 de outubro, dentre eles, Vicente Telles, Doquinha, Lourival Tavares, Carlos Daffé, George Silveira, José Maria Viana, e tantos outros aqui de Santa Inês. E também quero homenagear esse moço: Aroldo Alves Sobrinho, que nasceu em São Paulo, 17 de fevereiro de 1953, sendo ele um dos mais conhecidos e produtivos compositores brasileiros, além de grande cantor e um grande amigo irmão, com quem converso várias vezes por semana. Eu cá...e ele lá em São Paulo. Estou falando de PENINHA, com quem trabalhei incontáveis shows na década de 80, inclusive passamos por aqui.     Peninha gravou o primeiro compacto em 1972, mas seu primeiro grande sucesso foi "Sonhos" (1977), incluído na trilha da telenovela "Sem Lenço, Sem Documento" e com milhares de cópias vendidas. 

Músicas compostas por ele já foram gravadas por cantores como Tim Maia, Caetano Veloso, Fábio Júnior, Daniel, Alexandre Pires, Roberta Miranda, Paulinho Moska, José Augusto e Renata Arruda, entre outros. A canção "Sonhos", seu maior sucesso, além de ter sido interpretada por Caetano Veloso, Paulinho Moska e Elymar Santos, foi regravada também em outros idiomas. Através de Caetano, Peninha conseguiu outro sucesso em "Sozinho", que ao se tornar tema da telenovela da TV Globo "Suave Veneno" vendeu um milhão de cópias em 1999. A música já tinha sido gravada antes por Sandra de Sá e Tim Maia, e Caetano registrou-a no disco "Prenda Minha". Em 2001, depois de algum tempo sem gravar, Peninha lançou "Coladinhos", produzido por Manoel Nenzinho Pinto. O trabalho possui 14 faixas, entre canções antigas e inéditas, incluindo "Um Milhão de Fantasias", "O Ritmo da Chuva", "Matemática" que foi regravada pelo cantor sertanejo Daniel e "Quando Eu Amo É Assim", Eu Adoro Amar Você e a segunda música mais tocada nas noites e nos karaokês: Alma Gêmea. Quer mais....tem, mas falta espaço aqui. Um abraço grande amigo...grande irmão! Que Deus continue nos abençoando e as nossas famílias. Tamos juntos!!!

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Coluna-do-Silveira

Data: 08/10/2020

Visitas: 119

Palavras-chave: COLUNA DO SILVEIRA 1542

Fonte:

Big Systems
7685797 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 30 do mês 10 de 2020