• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - COLUNA ESTADO DE ALERTA 1554

COLUNA ESTADO DE ALERTA 1554

VENDEU, MAS NÃO ENTREGOU

O TSE, ou o TRE, a quem culpar pelo fato ( com tripa e tudo) de na hora H da votação destinada aos idosos ou de grupos de rico, das 7 às 10 da manhã, todos desses grupos deram de cara nas seções de Santa Inês com  gente de todas as idades? 

 

NÃO ENTREGOU

Ora..ora! Se a propaganda eleitoral de responsabilidade do TSE martelou na cabeça da gente por pelo menos uns 45 dias que as primeiras três horas eram para maiores de 60 anos e coisa e tal, e esses se depararam nas filas das seções com gente que tinha idade até para ser seus netos? Ah, mas a preferência era dos mais idosos. Uai seus meninos! Sempre foi, até em fila de supermercado. O negócio é que venderam um “produto” e não entregaram. Ponto!

 

AH, E A RESOLUÇÃO?

Bom, a RESOLUÇÃO Nº 23.631, DE 1º de outubro de 2020, no artigo 254, diz que  “está decidido que no período entre 7h (sete horas) e 10h (dez horas), terão preferência para votar os eleitores com 60 (sessenta) anos ou mais, e os eleitores com idade inferior a 60 (sessenta) anos não seriam impedidos de votar, mas deverão aguardar em fila separada até que todos os eleitores com 60 (sessenta) anos ou mais, já presentes ou que chegassem à seção, tivesse votado”. Sim...mas, foi isso que foi divulgado para o eleitor? Claro que não. Deixaram-nos acreditar que os sessentões em diante teriam a tranquilidade para votar. Preferência...já é algo de outros “carnavais”, repetimos e ponto II!

 

E A ACESSIBILIDADE?

Outro item que não teria entrado no chek-list do TSE, e por conseguinte, no do TRE...ainda por conseguinte (de novo) no do Fórum Eleitoral local. O AGORA flagrou pelo menos duas ou três situações inusitadas: uma senhora, aparentando uns 40 anos, com uma perna enfaixada, sendo conduzida por duas pessoas desde o carro na porta da escola, até a seção em ia votar. A mulher no caso chorava de dor...mas queria votar, e não havia uma única cadeira de rodas para conceder-lhe a devida acessibilidade. É claro que o TSE, TRE e afins não tem como colocar uma cadeira de rodas em cada local de seções (várias por sinal). E até tem, mas deixemos isso pra lá. Cremos que a própria escola (ou toda escola) tem uma cadeira de rodas “encostada” para alguma emergência.

 

SEGUNDO CASO

Uma senhora de uns 75 anos, cega dos dois olhos, conduzida por, provavelmente uma filha, percorreu mais de 100 metros entre ir e vir, tendo como guia uma bengala. Mesmo a filha de lado, a situação seria mais confortável se a tal cadeira de rodas estivesse disponível naquele local. Os fiscais dos partidos ou da Justiça Eleitoral e até seguranças, etc. por certo fariam o serviço de conduzi-la do carro até a seção e da seção até o carro. É mentira Terta?

 

AQUELE ABRAÇO!

Desculpem aí as autoridades eleitorais pelos entretantos. Até agradecemos mesmo de coração a devida atenção que obtivemos por parte dos juízes e promotores eleitorais das zonas 57 e 75, e do diretor do Fórum Eleitoral de Santa Inês. Deus abençoe sempre o trabalho de vocês.    

 

UM DIA DE FEROZES BATALHAS    

Domingo foi um dia de ferozes batalhas de verdade e de fake news aqui em Santa Inês e lá mais adiante. Aliás, as tais fake news fizeram a festa.....do mau! Se dependesse delas teria havido até morte em Santa Inês ou tentativa disso. Se houve, não ficou muito claro. Nas seções tudo teria ocorrido dentro da normalidade, fora o desconforto para alguns eleitores. Mas, que houve “enfuca” nas escolas/seções, isso rolou. 

 

SEM ENTENDER

Outro sim: A Polícia Civil informou que uma equipe de fora veio à cidade para acompanhar os casos de “confusões” nas seções, nas ruas, nos puxadinhos políticos, etc. Ocorre que ninguém teve ou quase não teve,  aceso a nada. Só os tais vídeos e alguns textos, entre aspas, denunciaram alguns momentos do nervosismo. Mas na hora de apurar, todo mundo fugiu da raia.

 

ATÉ O PADRE FEZ O SINAL DA CRUZ

O “ruído” de domingo em Santa Inês foi tamanho que até o pároco da Matriz de Santa Inês, Padre Joelson que passa sua primeira eleição na cidade se benzeu e mandou pelas redes sociais a seguinte e dura recomendação: “Boa tarde meus amados paroquianos, vamos exercer nossa cidadania com civilidade. Não deixemos as ideologias políticas nos fazerem canibais. Tenho visto alguns vídeos que dá vergonha. Vamos mostrar que somos cristãos que somos da paz. Deus abençoe e proteja a todos vocês minhas ovelhas dos lobos vorazes que estão à solta neste dia. PADRE JOELSON  15:00 hs).

 

MORTE PRA VALER

Já no município de Alto Alegre do Maranhão (não confundir com Alto Alegre do Pindaré), na noite do último sábado (14), um sargento aposentado da Polícia Militar do Maranhão (PMMA), identificado como, Alônico Alves Ribeiro, foi morto a tiros. Ele era segurança da candidata a prefeita Nilsilene do Liorne (PL). Esse caso segue contado em outra página nesta edição, mas desde domingo o caso foi divulgado em outro veículo do Sistema AGORA, o RA4.com.br e muita gente do Oiapoque ao Chuí que recebem a notícia disparada de nossas redações, se espantou com o tamanho da violência.

 

E PRA FECHAR

Na manhã de sábado (14), véspera das eleições municipais, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) em São Luís, no Km 14 da BR 135, abordou veículos de transporte coletivo de passageiros que saíam da Capital com destinos a municípios do interior do estado. Os veículos foram abordados na área da Unidade Operacional da PRF em Pedrinhas durante a Operação Eleições 2020 e, após inquirir alguns passageiros, os policiais constataram que dois ônibus foram fretados para transportar eleitores de São Luís até Santa Inês, demandados por um candidato a prefeito. Por nada não, mas quem teria sido esse candidato?

 

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Entretenimento

Data: 17/11/2020

Visitas: 73

Palavras-chave: COLUNA ESTADO DE ALERTA 1554

Fonte:

Big Systems
8020117 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 04 do mês 12 de 2020