• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - O OVO E A GALINHA DA CRISE

O OVO E A GALINHA DA CRISE

A degradação da governabilidade de Dilma foi um processo constante desde que a presidente tomou posse, em janeiro de 2011. Os resultados econômicos gradativamente piores desde então culminam com a retração de 3,8% do Produto Interno brasileiro em 2015 e comprovam a sucessão de erros do governo. Claramente, acompanhando de perto os últimos episódios de Houseof Dilma, a desordem não é só econômica, mas especialmente política.Em 2016, a população se atentou de vez para o que parece ser um desmonte repentino da estrutura de poder: não há mais confiança nas autoridades, não há cumprimento de planos ou execução de projetos. E segundo a análise da maior parte dos especialistas, a economia está “esperando a política se resolver”, à procura de alguma estabilidade e a famosa previsibilidade. Mas a população, o mercado e os resultados econômicos devastadores só chegaram agora a um show de horrores que vem se apresentando na Praça dos Três Poderes desde 2005, desde o processo do mensalão.Lá nos anos ’00 a esperança havia vencido o medo, mas também havia subornado parlamentares por votos no Congresso. Com o passar do tempo, o escândalo do Mensalão foi denunciado, inquéritos lançados e réus condenados. Mas o mais importante foi a revelação de como as coisas funcionavam, o modus operandi da politicagem. À época, Dilma era ministra e eventual sucessora natural do petismo. Sem experiência em cargos eletivos, Dilma assumiu o governo logo após a mais grave crise econômica global iniciada em 2008, classificada como “pior que a Grande Depressão de 1929” pelo ex-presidente do banco central americano, o Fed, Ben Bernanke. Fica claro agora que era necessário cautela econômica e financeira para se preparar para o impacto inevitável da crise global em terras brasileiras. E muita habilidade política para manter uma base sólida de apoio no Legislativo. Dilma não chegou nem perto disso. O apoio no Congresso se esfarelou em razão do “estilo Dilma”, como revelou o próprio líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), em uma conversa com Lula: “nós temos um problema. O jeito dela [Dilma], o estilo...ficou muito caracterizadamente como averso à política. (sic) Isso tá muito consolidado na Câmara”. A saída do PMDB da base de apoio ao governo nesta terça-feira e o próprio representante de Dilma com os deputados federais define bem o clima em torno do governo: adverso à político. Se o mercado está esperando política do atual governo, é melhor esperar deitado. Dilma é o ovo e a galinha da crise. *Tiago de Vasconcelos é jornalista.

Postado por: Redação Agora

Categoria do Post: Entretenimento

Data: 31/03/2016

Visitas: 739

Palavras-chave: O OVO E A GALINHA DA CRISE

Fonte:

Big Systems
4975801 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 20 do mês 09 de 2019