Agora Santa Inês - Saudade, um sentimento universal

Saudade, um sentimento universal

Quem ainda não experimentou um aperto no coração ao nos separarmos de alguém que se quer bem, que se gosta ou que se ama? Quem não gosta de recordar-se dos bons momentos que vivera tempos atrás com alguém partiu? Quem ainda não sentiu, uma certa angústia ou uma sensação de amargura por ter se separado de uma pessoa que se quer bem, ou que lhe é importante? Quem ainda não chorou, intensamente, por ter se separado ou perdido alguém que lhe é caro? Quem ainda não sentiu uma certa ternura, um aperto no coração ou um forte desejo de voltar a ver essa pessoa, depois de haver se separada dela, temporária ou definitivamente? Todas essas situações poderíamos chamá-las de saudade e todos nós, já a experimentamos em qualquer época de nossa vida.

            O termo se origina do latim, solitãs – atis. Vem de solidate, soledade, solidão, soydade, suydade. A saudade também pode se relacionar às coisas, e a emoções experimentadas em momentos distantes do atual e tais recordações dão um semblante afetivo especial e o desejo ardente de poder experimentá-los.

            A saudade é um dos mais importantes sentimentos humanos e vividos intensamente. Está relacionado às perdas, às separações sejam transitórias ou definitivas e a eventos nostálgicos, etc. É uma resposta afetiva, saudável e esperada que se revela em momento especiais da vida e está relacionada, fundamentalmente, às situações de separações.

           Carlos Eduardo Russi dizia: “a dor passa, a saudade acalma, a decepção ensina e a vida continua” referindo-se aos três grandes imperativos da vida humana: a dor, a saudade, a decepção. Sobre a saudade destaco que ela, realmente, tem esse belo papel o de aplacar a dor e o sofrimentos, porque passamos, no processo de separação, é uma espécie de lenitivo, calmante que nos faz tolerar mais, as coisas que nos fazem sofrer.

             A possibilidade de alguém sentir saudade nasce com a pessoa e prossegue prossegui a vida toda. Portanto, é uma resposta afetiva e emocional endógena, nasce das nossas entranhas. Se faz presente em todas as épocas da vida e é mais presente na terceira idade. Os idosos são mais saudosistas e nostálgicos que os adultos, os jovens e adolescentes, entre esses, impera a concretude e o pragmatismo, porém a forma de vivenciá-las é a mesma, o que muda são as condições gerais que a motivem e os fatores afetivos e emocionais dos que as sentem.

            Entre os mais idosos, sentir saudade é mais intenso e as mesmas se perduram por mais tempo e fazem parte das grandes reminiscências dos acontecimentos na vida de uma pessoa. Parte disso se explica pelo fato dos idosos terem vivido mais e por terem passado por muito mais experiências que os de fases anteriores.

             A saudade também, mescla sentimentos de ternura, nostalgia e dor. Quem vai determinar isso é o significado que cada um atribui ao fato que a provoca, a importância desse evento e sua intensidade vivida por cada um. Há níveis de saudade, uma mais intensas e duradouras outras mais brandas e passageiras e há as que você suporta melhor que outras. Há saudades tão sofridas que afetam profundamente a pessoa, outras são mais suportáveis. Há ocasiões, em que se antecipa a saudade e ela surge antes que o fato venha ocorrer. É o caso de se anunciar que um filho ou um parente muito próximo e querido vai se separar da sua família e isso já começa a despertar certa saudade vivida pela antecipação da separação.

             Há casos em que a vivência da saudade é tão intensa e duradoura que isso pode prejudicar a lucidez e outras funções cognitivas da pessoa, ao ponto de se dedicar tanto a ela que isso rouba horas de seu tempo, ruminando e recordando, abstraindo-a, de outras vivências do presente e da realidade, ou mesmo de outros interesses do cotidiano. Essas pessoas podem desenvolver amarguras, angústias intensas e se tornarem ensimesmadas, depressivas em um estado de solidão profunda.

            Saudade é uma espécie de pesar pela ausência de alguém que nos é querido ou de bons momentos agradáveis que alguém viveu. Na saudade as recordações, preenchem o vazio provocado pela sepaação. São lembranças de momentos ou pessoas importantes afetivamente, amorosas, afetuosas e prazerosas, distantes ou extintas, que nos remetem a recordações acompanhadas do desejo enorme de tornar a vê-las, e/ou revivê-las.

           Cantada em versos e prosas, em declarações de amor, em lindas canções, em romances, na literatura e em poesias, a saudade é também exortada na psicologia, é um dos mais citados eventos pessoais e em muitos outros acontecimentos ela está quase sempre presente. Como vimos, nós a sentimos desde cedo e a expressamos de conformidade com a idade e com nosso nível de crescimento e amadurecimento emocional cognitivo e afetivo.

           Devemos distinguir a saudade da nostalgia, essa significa um estado de profunda tristeza causado pela falta de algo e vivido como uma perda profunda. É um sentimento melancólico, geralmente produzido em pessoas que se encontram longe da sua terra natal e sente saudades da sua pátria, do seu lar, de sua família, amigos e de coisas que lhe são familiares.

           Portanto, como podemos notar, sentir saudade é uma expressão humana natural e normal e fala a favor de saúde mental, porém em condições de exagero ou em condições obsessivas, pode ser sinal de problemas mentais e psicológicas, sendo necessário, nessas condições, um diagnóstico médico e tratamento especializado.

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Entretenimento

Data: 04/09/2021

Visitas: 86

Palavras-chave: Saudade, um sentimento universal

Fonte:

Big Systems
9880834 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 20 do mês 09 de 2021