Agora Santa Inês - Editorial: Vendido só para assinantes e anunciantes

Editorial: Vendido só para assinantes e anunciantes

Não se justifica o que não há o que se justificar. Não se responde a quem, em um ato de covardia, esconde a cara atrás de uma  feke ou de um anonimato qualquer para atingir as pessoas. Aprendemos desde sempre que é melhor  assumir o que fazemos de cara limpa, sem nos esconder nas sombras quaisquer, muito menos da internet, etc. Assumimos os riscos pessoalmente do que dissemos ou escrevemos. Desde cedo Deus nos fez ver que nascemos sem o sentimento do medo, não nos deixando andar de cócoras, mas de pé é nariz empinado! Mas é salutar manter informado quem nos sustenta.  Dito isso,  queremos repetir pela enésima vez que o Jornal AGORA Santa Inês não se vende e não extorque dinheiro de qualquer político,  e muito menos seus donos. O Jornal AGORA Santa Inês só é vendido para assinantes, anunciantes, sejam eles do varejo ou institucionais, ou para cobertura de eventos republicanos, que tenham origem séria. A simples divulgação de atos de prefeituras, governos e instituições públicas, é fato normal e obrigatório por parte destes que tem que dar a devida publicidade de seus atos. Isso não interfere na linha Editorial do Jornal.

     Quem lê o AGORA detalhadamente, e sem querer interferir em sua linha Editorial, pode perceber que ele segue como única cidadela de defesa da população de Santa Inês desde o ano de 2001. Enfrentado processos de políticos principalmente, a fúria de quem está no poder ou até mesmo daqueles que não conseguindo manobrar o próprio caminho, se consideram  poderosos. Nesses mais de 20  anos, travamos luta ferrenha contra a criminalidade, o tráfico de drogas, o péssimo estado da saúde pública, os desmazelos no setor da educação, veiculamos centenas denúncias contra os mais diferentes gestores daqui e da região, travamos  batalhas contra os governos estadual e municipal, criticamos a postura de dezenas de políticos, a omissão da sociedade civil diante da letargia que acomete o município desde sempre, e vai por aí. Em nossas capas estão as caras de quem denunciamos e abaixo do nome AGORA SANTA INÊS está o nome do fundador e editor deste jornal: Comendador Clélio Silveira Filho. Portanto, não nos escondemos detrás do que oferecem as redes sociais, a internet. Daí a credibilidade deste Jornal e de quem o faz.

                Da mesma forma em que criticamos A, B, ou C, temos a hombridade de reconhecer  quando alguém faz algo de bom pela cidade, pelo município, região ou estado, ou se redime de seus erros. A opinião do Jornal sobre os fatos está em seus  Editoriais  ou nas colunas e artigos assinados por seus editores. O fato de publicarmos uma matéria ou outra sobre o que fazem as administrações,  Estadual ou Municipal, não quer dizer que “o jornal se vendeu” ou que seus donos (Clélio Silveira, mulher e filhos) se “venderam”. Quanto ao fato de que alguns políticos foram vistos entrando ou saindo da sede do AGORA, isso não é de agora. Por aqui sempre passaram políticos com mandato ou sem mandato: ex-governadores, governadores, futuros governadores, senadores, deputados estaduais e federais, prefeitos, vereadores, etc. O Jornal é um órgão público e não pode se recusar a receber ninguém. Mas nem um deles teve a obrigação de passar pelo caixa da empresa que edita o jornal,  para pagar pela visita, ou orientação  política quando esta foi solicitada.

                Sobre o fato de que o AGORA passa por uma crise financeira – e qual é a empresa que não está passando por isso no Brasil? – seguimos lutando para vencê-la assim como milhões de empresas no País. Mas não “passamos o pires” entre os políticos daqui ou de outras partes do Maranhão.  

               Com este Editorial, queremos deixar  claro  seis coisas:  1) O Jornal AGORA Santa Inês só se vende para assinantes, ou espaços para anunciantes. 2) Crise financeira é hoje tema obrigatório dentro de qualquer empresa todo dia e toda hora. 3) Se tem alguém aqui na cidade que traiu alguém ou o povo, não foi o AGORA Santa Inês. 4) Somos inarredavelmente à favor do povo de Santa Inês, e contra tudo que venha lhe prejudicar. Mas não deixaremos de dar guarida em nossas páginas ao que fizeram em benefício da população. 5) Também não deixaremos de lutar por melhor Educação, Saúde, Mobilidade, implantação de indústrias na cidade, transparência nos governos, investimentos públicos em geral, etc. 6) Não nos acovardaremos diante dos maus políticos e gestores, de seus atos de corrupção ou coisa do gênero – mas cabe às autoridades; Ministério Público e  Legislativo Municipal investiga-los e o Judiciário puni-los. O Jornal AGORA já faz a parte dele, desde sempre! Denuncia, aponta, investiga, divulga e não esconde os fatos da população que tem a obrigação de saber. Isso só o AGORA faz e fica registrado para o anais da História.

                               Ah, queremos aproveitar a oportunidade para informar a quem interessar possa, que a Junta Comercial do Maranhão, em Declaração de Exclusividade, informa que o Jornal AGORA Santa Inês é o único de Santa Inês e da região com circulação ininterrupta desde 2001, o que obriga o Município e a Câmara de Santa Inês e os municípios da região e suas demais câmaras, a publicarem nele seus atos e informes publicitários, bem como os cartórios devem proceder por determinação do Tribunal de Justiça onde somos por demais reconhecidos como baliza da verdade aqui e na região. Cópias da Declaração de Exclusividade reconhecidas pela Junta Comercial, foram entregues nas varas da Comarca local e da região, bem como foram enviadas para os tribunais e outras instituições em São Luís. Isso fica bem claro que se matérias ou atos da prefeitura de Santa Inês (ou de outras prefeituras) forem publicadas em nossas páginas, não quer dizer que nos vendemos. Trata-se tão somente da obrigação desses órgãos em divulgar em nossas páginas seus feitos, e nosso dever de acolhê-los, e isso evidentemente, tem um custo para ser divulgado. Todos os veículos de comunicação no Brasil, seja ele rádio, TV, jornais ou revistas, vivem também de verbas públicas e isso é constitucional, inclusive aqui no Maranhão o Governo do Estado gasta por  ano mais de 50  milhões de reais divulgando suas obras e feitos.  Mas não quer dizer que o veículo de comunicação que divulga  os feitos do Governo do Estado,  tenha que abrir mão de sua liberdade editorial. Quanto a criticar esta ou àquela postura de qualquer político, ou receber este ou àquele político em nossa sede, são duas coisas que não deixaremos de fazer. E se for para fazer o bem ou corrigir desgovernos, muito menos nos oporemos em sentar e conversar, afinal, somos uma sociedade civilizada e queremos o melhor para a cidade, o município. O resto........é resto, com todo respeito.

                PS -   E para finalizar mesmo;  o nosso melhor muito  obrigado! aos nossos queridos milhares de leitores pela paciência de lerem um Editorial tão extenso até o fim. (Clélio Silveira Filho/ Editor Chefe do Jornal AGORA Santa Inês).             

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Politica

Data: 17/11/2021

Visitas: 126

Palavras-chave: Editorial: Vendido só para assinantes e anunciantes

Fonte:

Big Systems
10137009 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 08 do mês 12 de 2021