Agora Santa Inês - Reformas em locais públicos em Santa Inês são  verdadeiras transgressões a obrigação de informar à população de que forma elas estão sendo feitas

Reformas em locais públicos em Santa Inês são verdadeiras transgressões a obrigação de informar à população de que forma elas estão sendo feitas

A Prefeitura de Santa Inês no  “tempo do novo”, tem inovado mesmo em se tratando de desrespeitar o que é direito líquido e certo dos munícipes, de saber o que, por quanto, de onde o recurso, qem está fazendo a obra e qual o tempo de duração. Para não sermos injustos, ela, a Prefeitura Municipal de Santa Inês e sua Secretaria Municipal de Obras, talvez obedecendo ordens superiores, hierárquicas, tem mesclado uma coisa com a outra. Se o Mercado do Peixe, localizado na Bairro Bom Preço, tem uma placa na frente dele que está em reforma, conforme obriga a lei, informado o que está sendo feito, a origem dos recursos, o nome da empresa e o prazo de conclusão da obra - falta o valor estimado - duas grandes reformas com  mesma assinatura da prefeitura não levaram em consideração a obrigatoriedade de disponibilizar essas informações para a população: a reforma do Hospital Municipal de Santa Inês, cuja obra de reforma acredita-se que já tenha sido concluída, pelo menos na fachada, nunca repassou essas informações para a população, ao menos em uma cartolina que fosse.

O AGORA perguntou a um vereador se ele tinha conhecimento de quanto foi - ou ainda está sendo - gasto na reforma, o edil respondeu que já "vasculhou” por onde pode e não conseguiu obter a resposta. Agora imagine um anônimo cidadão do município. A outra reforma é a que está em andamento a cerca de 45 dias; a do Ginásio João Cambinha, no Parque da Raposa. Pelo menos até o final da tarde da última quinta-feira 17, não havia no entorno do ginásio em um raio de até 1 km, qualquer informação sobre o quanto vai custar a reforma, a origem do recurso, o nome da construtora, o prazo previsto para o tempo de duração da mesma, etc. A Secretaria de Obras, acredita-se que por ordem superior, omite esses dados, que por outro lado a Câmara Municipal de Santa Inês não fiscaliza e o Ministério Público às vezes não tem conhecimento do que está acontecendo. Só essas duas irregularidades já seriam suficientes para que algum cidadão de Santa Inês questionasse a atual gestão pelo não cumprimento da obrigação de informar à população através de simples (e baratas) placas fixadas na frente de uma obra pública em construção ou em reforma. Ocorre que em Santa Inês, no tempo do novo, tudo pode. Enquanto isso a “fila” de processos, inquéritos e ações contra o gestor municipal, alguns secretários e a própria instituição, prefeitura, só cresce a cada dia. Resta saber até onde essa corda vai esticar. (Da Editoria de Política do AGORA).

 

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: A-Cidade

Data: 22/11/2021

Visitas: 137

Palavras-chave: Reformas em locais públicos em Santa Inês são verdadeiras transgressões a obrigação de informar à população de que forma elas estão sendo feitas

Fonte:

Big Systems
10136892 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 08 do mês 12 de 2021