Agora Santa Inês - Padre Marco Passerini, rejeita prêmio do governo do Maranhão após ação da PM contra indígenas

Padre Marco Passerini, rejeita prêmio do governo do Maranhão após ação da PM contra indígenas

Por causa do episódio envolvendo a tortura e prisão dos índios gamelas no Maranhão, o padre Marco Passerini renunciou o prêmio Magno Cruz de Direitos Humanos concedido pelo Governo do Maranhão.

Em carta enviada à Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), o padre agradeceu o reconhecimento, mas disse que diante das ações truculentas da Polícia Militar do Maranhão desrespeitando etnias e territórios não pode aceitar o prêmio.

Reconheceu o trabalho Sedihpop, mas criticou outras instituições governamentais e empresariais, e encerrou dizendo que não é possível uma secretária promover e defender os Direitos Humanos no varejo, enquanto outras secretarias do mesmo governo persistem em violenta-los.

Veja a carta na íntegra

Prezadas (os).

Há poucos dias manifestei minhas surpresa e gratidão pela outorga do Prêmio Magno Cruz de Direito Humanos 2021 à minha pessoa. Esse reconhecimento seria uma oportunidade para me reconectar com as lutas de ontem e de hoje, de cidadãos e cidadãs, grupos, movimentos e etnias do Maranhão que continuam persistindo na construção de uma sociedade justa, sustentável e pacífica.

Não seria um reconhecimento pessoal, mas um memorial de tantos companheiros e companheiras de caminhada. Pessoas que têm nome e sobrenome, alguns ainda vivas resistentes e resilientes, outras que nos deixaram fisicamente e outra, enfim, que acabaram fazendo escolhas duvidosas. Como no passado, ainda hoje, a minha história é escrita no plural.

Em que pese tudo isso, diante das informações amplamente veiculadas pela imprensa e redes sociais que dão conta de ações truculentas da PM do MA desrespeita etnias e territórios, sem querer emitir julgamento apressados e não plenamente objetivos, em nome da minha consciência ética e cristã, não e não posso aceita o referido Prêmio de Direitos Humanos que, nesse contexto, parece-me contradizer o seu verdadeiro escopo.

Tenho conhecimento das dificuldades e dos esforços dessa excelente Secretaria na promoção e defesa dos Direitos Humanos. Por isso, longe de mim a intenção de responsabiliza-la pelas repetidas arbitrariedades no território Acroá-Gamella. Outras instituições governamentais e empresariais têm culta no cartório. Quanto a mim, só cabe afirmar que não é possível uma secretaria promover e defende os Direitos Humanos no varejo quanto outras secretarias do mesmo Governo persistem em violenta-los.

Enfim, mesmo reiterando meu apreço e gratidão, aproveito este ensejo para aderir à nota de denúncia, ontem, por várias entidades.

Pe. Marco Passerini

Fortaleza, 19 de novembro 2021

 

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Regional

Data: 24/11/2021

Visitas: 44

Palavras-chave: Padre Marco Passerini, rejeita prêmio do governo do Maranhão após ação da PM contra indígenas

Fonte:

Big Systems
10136841 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 08 do mês 12 de 2021