Agora Santa Inês - COLUNA DO SILVEIRA 1654

COLUNA DO SILVEIRA 1654

“Mudanças no dia a dia, corrigindo a rota para seguir no caminho de Deus, são necessárias, mesmo que não pareça. A Vida é um Caminhar na Direção de Deus. Não valeria a pena nossa passagem por aqui se não fosse por Ele”.

Reflexão Espiritual/Clélio Silveira Filho. 

Bom dia quinta-feira, 2 de dezembro de 2021!  Bom dia “meus povos e minhas povas”, como dizia o saudoso e folclórico prefeito de Pindaré Mirim Mundico Rego, lá pelo final da década de 50 e comecinho da de 60, cujos parentes ainda convivem em nosso meio para contar a história de certo. Mundico Rego, um prefeito que não dispensava um palitó,  é um dos personagens de mais estórias na história de Pindaré Mirim desde a sua fundação. Na época todo o território dos municípios de Santa Inês, Bela Vista, Igarapé do Meio, Bom Jardim e salvo engano Santa Luzia, fazia parte do município de Pindaré. Mas era só mata fechada. As únicas formas de se sair de Pindaré e alcançar São Luís, a capital,  era de avião “teco-teco” com vários voos diariamente, e de lancha (três dias de viagem pelo Rio Pindaré, ou uma estradinha de quatro metros de largura na direção de Bacabal. No começo da década de 60 já dava pra se chegar até Santa Luzia do Tide, onde se matava um todo dia, e já se deixava o outro amarrado para morrer no dia seguinte (Cruz Credo!!). E eu com meus 9 ou 10 anos morei por lá e via todo dia o desfile de caixões no rumo de um cemitério improvisado. Pois bem, mas isso não tem nada a ver com Mundico Rego, e muito menos com a pauta dos dias de hoje. O certo é que nos dias de hoje nos sentimos impotentes diante de uma pandemia que não cessa de aparecer com novidades que nos tiram a paz. Pelo menos dos que conseguem enxergar um palmo adiante do nariz. O ômecron, novo vírus que vem nos tirando o sono desde a semana passada, pelas bandas de cá, Santa Inês - para não ir muito longe, pela   região, pelo Maranhão, pelo Brasil e pelo Mundo - parece não ter causado nenhuma preocupação para  as autoridades de Saúde e fiscais dos atos destas. Tudo segue como dantes na casa de Abrantes; todos (ou quase todos) sem máscaras, vacinação se arrastando, distanciamento nenhum, idem nenhuma campanha apelativa ou educativa. Todos já esqueceram que mais de 140 pessoas perderam a vida por aqui só este ano de 2021. Contaminados com o vírus quase 13 mil. Sequelados, centenas de santainesenses.   É   uma lástima que seja assim. Bom, que nosso bom Deus nos abençoe a todos, e que suas bênçãos desçam sobre nós, nos alcançando onde estivermos. Amém! Deus nos livre do ômicron! 

 

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Coluna-do-Silveira

Data: 02/12/2021

Visitas: 244

Palavras-chave: COLUNA DO SILVEIRA 1654

Fonte:

Big Systems
10395747 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 21 do mês 01 de 2022