Agora Santa Inês - AFASTADO DO CARGO DESDE QUARTA-FEIRA (27) PREFEITO FELIPE OLIVEIRA NÃO É VISTO EM SANTA INÊS

AFASTADO DO CARGO DESDE QUARTA-FEIRA (27) PREFEITO FELIPE OLIVEIRA NÃO É VISTO EM SANTA INÊS

O prefeito afastado  de Santa Inês, Luís Felipe Oliveira de Carvalho (27) do Republicanos, não é visto em Santa Inês desde a última quarta-feira (27), quando a Polícia Federal  com apoio da CGU, desenvolveu na cidade a  Operação Free Rider, e cumpriu 18 mandados de busca e apreensão. Um dos principais objetivos era o afastamento do cargo do prefeito Felipe Oliveira por determinação do TRF-1, de Antonio Jackson Lopes da Silva, Antonio José de Magalhães Neto, Liliane Gatinho Neto, da secretária de Saúde Maria Rita Bacelar Limeira, da secretária de Administração e irmã do prefeito, Talihi-na Rodrigues de Carvalho, de Talita Abreu de Almeida e Samuel Martins Costa Filho, todos estariam envolvidos em licitações fraudulentas, com contratos superfaturados em troca de propina, segundo a PF. 

DROGA ROCHA 

A contratação fraudulenta de empresa para aquisição de medicamentos e insumos hospita-lares foi usada pela organização criminosa instalada na prefeitura de Santa Inês, sob gestão de Luís Felipe Oliveira de Carvalho, para arrecadar propina, de acordo com investigação da Polícia Federal, que além de afastar os que estariam envolvidos nas fraudes cumpriu os 18 mandados de busca e apreensão na quarta-feira (27).

A operação foi batizada de Free Rider que, do inglês, significa “carona”, devido ao modus operandi do esquema que, segundo a investigação, utiliza o instituto jurídico da adesão a Ata de Registro de Preços de outros municípios, procedimento também conhecido por “carona”, para tentar maquiar fraude em procedimento liciatório, previamente montado e superfaturado. A ação foi autorizada pelo TRF (Tribunal Regional Federal) da 1º Região, porque um dos alvos é o próprio Felipe dos Pneus. Os mandados foram cumpridos em Santa Inês e em São Luís, no Maranhão, e em Teresina, no Piauí. Segundo a investigação, que conta com a participação de auditores da CGU (Controladoria-Geral da União), a organização criminosa composta por três núcleos (Gabinete do prefeito, Secretaria Municipal de Saúde e empresarial) promoveu fraudes licitatórias e superfaturamentos contratuais que somam mais de R$ 8,5 milhões.

A partir do afastamento do sigilo bancário, dizem a PF e a CGU, foi possível identificar transferências entre contas da empresa integrante da orcrim e de pessoas físicas e jurídicas ligadas à administração do município de Santa Inês, o que caracteriza o pagamento de propina, malandragem que ocorre quando parte dos valores recebidos pela contratada retorna para os responsáveis pela contratação.

A propina, ainda segundo a investigação, teria sido repassada para os integrantes da organi-zação criminosa por meio de empresa fictícia, criada para essa finalidade.

Também foi determinada pelo TRF-1 a indispo-nibilidade e sequestro de bens dos envolvidos, afastamento de Felipe dos Pneus e dos servidores de suas funções públicas, além de proibição de acessar as dependências da prefeitura do município e suspensão do direito de participar em licitações e suspensão de pagamentos. (Do AGORA! com informações também do atual7.com).

Postado por: Redação do Agora

Categoria do Post: A-Cidade

Data: 02/05/2022

Visitas: 383

Palavras-chave: AFASTADO DO CARGO DESDE QUARTA-FEIRA (27) PREFEITO FELIPE OLIVEIRA NÃO É VISTO EM SANTA INÊS

Fonte:

Big Systems
11529495 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 18 do mês 08 de 2022