• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - PÁGINA DE LITERATURA 1130

PÁGINA DE LITERATURA 1130

AIL, EM EXEMPLO DE ACADEMIA, E OUTROS  TÓPICOS


 Olá, confrades, confreiras e leitores desta página de Literatura, que segue publicada sempre que é possível, dentro das nossas limitações no que diz respeito a disponibilidade de tempo. O importante é que ela, mais uma vez está aqui, imponente, convidativa, aberta a colaborações de membros da Academia de Letras e de outros literatos em geral. Fez poesia? Escreveu um livro? Um conto? Um ensaio? Traga-nos que o publicaremos com muito orgulho. Disponham do espaço que colocamos à disposição. Uma cidade politizada é bem melhor de se viver. E pouquíssimas são as cidades no Maranhão que tem jornal impresso, incluindo São Luís, talvez mais uma meia dúzia, e com a periodicidade regular somente três: São Luís, Imperatriz e Santa Inês. Com uma página inteira disponível para a literatura, somente Santa Inês e São Luís. Por essas e por outras, não nos deixem só! Mandem-nos suas colaborações. Obrigado! (Clélio Silveira Filho, presidente interino da Academia de Letras de Santa Inês).

 

 

REUNIÃO NA 4ª FEIRA

Lembramos aos nossos confrades que na próxima quarta-feira, dia 27, haverá nova reunião com todos os membros da Academia de Letras de Santa Inês/ALSI, às 19:30, no Auditório da Câmara Municipal, para tratar da escolha do local onde será instalada a sede provisória da Academia, protocolos junto à Câmara Municipal para que a Academia seja reconhecida como de Utilidade Pública, programação de Evento Cultural para agosto entre outros assuntos.

Todos os membros fundadores ou não, podem comparecer que serão bem recebidos. Agendem-se: próxima quarta-feira, dia 27 de julho, 19:30, Câmara Municipal de Santa Inês.

 

 

Academia Imperatrizense de Letras, um exemplo a ser seguido

 Publicamos nesta página, informações recentes, sobre o funcionamento da Academia Imperatrizense de Letras. Elas dizem respeito à reforma do prédio da AIL, como é que funciona por lá, quantos são os seus membros, quem são ou foram eles, a demonstração da importância que a mesma tem para aquela cidade, etc. Exemplos que deveriam ser seguidos aqui, principalmente por quem trata com indiferença algo que é tão importante para qualquer cidade do mundo.  

 

 

REINAUGURADO O PRÉDIO DA ACADEMIA IMPERATRIZENSE DE LETRAS

 A reforma durou seis meses, e o prédio passou por vários reparos

Em noite festiva e de confraternização, regada a muita música e literatura, a diretoria da Academia Imperatrizense de Letras (AIL) recebeu, no dia 8 de julho, o prédio da instituição totalmente reformado.

A reforma durou seis meses e o prédio passou por reparos, foram trocados o teto, a pintura, o forro e o piso. Pronto para receber visitas do público novamente, o prédio conta agora com uma inovação na arquitetura, 40 lâmpadas fluorescentes foram instaladas no auditório Vito Milesi, as quais representam os 40 integrantes, sendo 33 homens e sete mulheres que compõem a AIL. “Isso é um patrimônio de Imperatriz. Não é só um prédio público, é um patrimônio cultural da cidade, e a Academia tem a honra de administrar e desenvolver suas atividades aqui”, destacou o vice-presidente da AIL, Agostinho Noleto.

O prédio pertence à Prefeitura de Imperatriz, foi cedido, em regime de comodato, para a AIL. Tornou-se um local de visitação pública pelos estudantes da cidade principalmente. O prédio conta também com uma sala da secretaria, a sala Edelvira Marques com os quadros dos acadêmicos falecidos, a sala de inclusão digital e a biblioteca.

“A nossa biblioteca está sempre aberta todas as tardes para atender, principalmente, os estudantes. Somo uma referência para a cidade e tudo que fazemos é pensando na sociedade”, disse a presidente Edna Ventura. A reforma custou cerca de R$ 70 mil e foi preservada a feição arquitetônica como as portas largas, janelões, piso e teto em madeira de lei. O antigo prédio já abrigou os Três Poderes.

 Academia Imperatrizense de Letras tem  membros que ocuparam e ocupam cargos públicos. Um prefeito e governador (Ribamar Fiquene), vice-governador (Luiz Carlos Porto), atual vice-prefeito de Imperatriz; desembargadores, juízes, promotores, advogados, médicos, professores, dois padres, um pastor protestante, jornalistas, empresários, poetas e cantador, toda essa plêiade, comprometida com a cultura e a arte de Imperatriz e região, notadamente, com a literatura.

 

 

 

 Minha Terra


Por Carlos Alberto

 Na minha terra

Tem pessoas e personagens

que não se esquecem jamais

Tem mulheres trabalhadoras

quebradeiras de côco, benzedeiras

Tem bordadeiras, costureiras

Tem mulher rendeira

do lar, do campo, o comércio informal

comerciantes e comerciárias

enfermeiras, doutoras e professoras

Tem mulher guerreira

meninas, jovens e senhoras

musas, mães e rainhas

Tem mulher artista

minha terra é parte do meu coração

minha memória eternizou

Inês Galvão, Conceição

Zima, Militana e Micaela

Helena, Justina

Teodora e Vitalina

Concita, Carla

Marcelina, Terezinha e Antonina

Minha terra, "minhas mulheres'

meus amores

minha querida Santa Inês

(Carlos Alberto Costa é membro fundador da Academia de Letras de Santa Inês, é escritor e artista plástico)

 

 

 

IDENTIDADE


(Semião Julio Neto / Santa Inês-MA)

 Minha identidade não tem numeração, nem data de nascimento, nem a digital do dedão. Minha identidade é calçada no chão, na terra dura e batida, desde menino seguindo a lida nas ruas tortas do sertão.

 Minha identidade brejeira de sabença amatutada onde aos pés da ingazeira faço versos de poesia falada.

 Minha identidade é revoltada com apolítica dos tempos atuais, desses poderosos governamentais, e não se dão o respeito mais tão sempre atrás da gente para conquistar seu pleito.

Minha identidade é arredia de não se curvar pra qualquer um, não voto mais em infeliz nenhum, que vem com estrambólicos dizeres pra satisfazer seus quereres.

 Minha identidade também é pura alegria por esta terra abençoada que por Gonçalves Dias foi há tempos declamada.

 Minha identidade é do litoral, é da baixada, dos Cocais, é dos Lençóis, Parque nacional, dunas, rios e coisas e tais.

 Minha identidade ta na chapada das mesas nas paisagens do serrado e suas belas cachoeiras, na passarada revoando na beira dos rios cantando.

 Minha identidade é cantada no bumba- boi, na matraca e no pandeirão, no tambor de crioula, pra imbigá na saliência do cacuriá.

 Minha identidade é apaixonada de dançar reggae no espaço acariciando em outros braços. De tardinha vendo o sol o sol se por, beijando a ilha na ilha do amor.

 Minha identidade é de cidadão ludovicense nascido no interior humilde e respeitador, ser um poeta maranhense.

[email protected]

Semião Júlio Neto venceu o 21° POEMARÁ - Festival Maranhense de Poesias

 

 

 

LUTO

 A Academia de Letras de Santa Inês, através de sua diretoria provisória, solidariza-se com os confrades Luís Henrique Costa e Carlos Alberto Costa, pela morte de Alcides Costa, pai de ambos, falecido no último domingo (17) e sepultado na segunda-feira (18), no Cemitério do São Benedito. Que Deus em sua infinita bondade console todos os familiares.

Postado por: Redação Agora

Categoria do Post: Entretenimento

Data: 25/07/2016

Visitas: 658

Palavras-chave: PÁGINA DE LITERATURA 1130

Fonte: Redação Agora

Big Systems
5524458 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 12 do mês 12 de 2019