• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - Greve completa duas semanas e prejudica clientes no Maranhão

Greve completa duas semanas e prejudica clientes no Maranhão

Em Santa Inês todas as agências bancárias aderiram à paralização e estão de portas fechadas funcionando apenas os caixas eletrônicos  

Desde o início da greve dos bancários, no dia 6 de setembro, já se passaram duas semanas de paralisação. A categoria, além de reivindicam reajustes nos salários, reclama por maior participação nas decisões das instituições. Com os serviços paralisados a população passa por dificuldades na hora de resolver problemas nos bancos. Segundo clientes, serviços como saque não concluem e, em muitos casos, não há dinheiro nos caixas eletrônicos para realizar o saque. "Não vim resolver problema na agência. Eu vim para realizar um saque no caixa eletrônico, mas não consegui. Essa é a segunda vez só essa semana", reclamou Luana Carvalho, que trabalha como operadora de caixa.Já o problema do Ribamar de Souza, que opera como estoquista, é mais complicado de resolver com a greve. Ele está com o cartão bloqueado e não consegue realizar nenhuma operação. "Eles estão em greve desde duas semanas atrás. Já são mais de 10 dias em essa situação. Tenho dinheiro na conta, meu cartão foi bloqueado e não posso sacar nada porque ninguém na agência pode me atender. Até entendo o lado deles de se manifestar, mas seria ótimo se não atrapalhasse a população", reclamou.O presidente do Sindicatos dos Bancários (SEEB-MA), Eloy Natan, informou  que a categoria permanecerá em greve até que seja apresentada uma proposta convincente. "Os banqueiros propuseram reajuste de 7%, além de um abono de R$ 3.300,00, mas a categoria não aceitou. Continuamos com a greve, realizando diariamente manifestações em frente à agências bancárias e assembleias para organizar o movimento grevista", declarou.ReivindicaçõesDe acordo com o Seeb-MA, a proposta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) – braço sindical da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) – foi rebaixada para 6,5%, o que é considerado abaixo do índice de inflação do período estipulada em 9,31% pela categoria. Além do Seeb-MA, sindicatos do Rio Grande do Norte e de Bauru reivindicam juntos reajuste de 28,33%, Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de 25% do lucro líquido linear, isonomia e a reposição das perdas salariais acumuladas.Segundo o Seeb-MA, em rodada de negociação realizada no dia 29 de agosto, em São Paulo, a Fenaban apresentou a proposta rebaixada, com o reajuste, o salário de ingresso de caixa e tesoureiro passaria de R$ 1.802,48 para R$ 1.919,64 e o auxílio-refeição de R$ 29,64 para R$ 31,57, segundo o sindicato.Greve em 2015A última paralisação dos bancários ocorreu em outubro de 2015, com duração de 21 dias. À época, a maioria da categoria aceitou a proposta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de reajuste salarial de 10%, aplicáveis aos salários, benefícios.

Postado por: Redação Agora

Categoria do Post: Regional

Data: 21/09/2016

Visitas: 866

Palavras-chave: Greve completa duas semanas e prejudica clientes no Maranhão

Fonte:

Big Systems
6164065 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 08 do mês 04 de 2020