• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - Coluna Estado de Alerta 1177

Coluna Estado de Alerta 1177

Violência recrudesce I

  Não é por nada não, mas todo começo de ano as coisas esquentam por aqui e a violência corre solta. No ano passado contabilizamos cerca de 17 mortes violentas entre meados de janeiro e final de fevereiro. Uma coisa jamais vista por aqui.

Violência recrudesce II

  Neste ano, já contabilizamos em menos de dez dias, três homicídios. Três homens tombaram a balas ou a golpes de facas ou facão. Fora os que morreram em acidentes e coisa e tal. Não interessa em que circunstâncias eles morreram. Os matados. Se eram ou não bandidos. O cerro é que essas mortes engrossam as estatísticas dos homicídios registrados na cidade. Vamos ter um começo de ano como o de 2015? Com a resposta as autoridades de segurança.

País das facções  I

Por falar em violência, o Brasil parece que virou o “país das facções”. Governado pelas  facções tais, e tais, a gente já é mesmo, faz tempo. Agora, tendo no comando as facções criminosas que superlotam os presídios brasileiros, aí já são outros “quinhentos, mil, etc.”

País das facções II

  Só para o leitor ter uma ideia, aqui no Maranhão, da população carcerária, mais de 2 mil presos pertenceriam a facções criminosas. Isso segundo dados confiáveis. Nesse bolo aí alguns desses presidiários teriam origem em Santa Inês. E isso não brincadeira não. E daí? E daí que tratemos de reverter tal situação no geral. Falando em Brasil por completo, ou então, logo, logo, seremos comandados por presos e suas facções cá fora. Duvidam? Nós, não.  

Lixo não tem fim I 

Desde o dia 1º de janeiro que o Departamento Municipal de Limpeza trava uma batalha “insana” para livrar Santa Inês da pecha de ser a cidade que tem o maior volume de lixo acumulado por metro quadrado em todo o Maranhão. Tarefa hercúlea! 

Lixo não tem fim II

Porém, entretanto, todavia (éguas!!!) parece que o lixo não tem fim. Uma simples volta por alguns locais um pouquinho mais afastado de uma meia dúzia de ruas centrais, aí damos de cara com lixo adoidado! A impressão que se tem é que o lixo e a urubalhada não vai acabar nunca! Vejam os senhores; quanto mal fizeram a esta cidade! Não merecíamos pagar tão caro por tamanha irresponsabilidade.

 ENQUANTO ISSO...............  

Briga de gente graúda

“O juiz de Direito, Clésio Cunha, e o deputado Josimar do Maranhãozinho travam uma briga nas redes sociais e na imprensa por causa de um terreno que pertenceria ao município de Zé Doca. O juiz afirma que comprou a área, mas como bom entendedor das leis, sabe que a venda sequer foi autorizada pela Câmara Municipal de Zé Doca. E mais: adquiriu uma área que vale mais de R$ 100 mil por apenas R$ 10 mil. Quem vendeu? Para onde foi parar o dinheiro? Questiona o deputado.

Briga de gente graúda

A prefeita Josinha, amparada por decisão judicial, (irmã de Josimar) mandou embargar a obra que vinha sendo feita no local por familiares do juiz. E mais; mandou derrubar a construção. Como o terreno foi vendido de forma ilegal e ainda pertence ao município, ela tem plenos poderes para impedir a construção pirata. Ao juiz, cabe apenas buscar o dinheiro de volta, se é que ele comprou na verdade”. Tudo isso foi relatado pelo blog do Luís Cardoso (percebam as aspas). Vendemos pelo mesmo preço.

Que sirva de exemplo aqui I

Na verdade, a publicação desses dois tópicos de cima, o fizemos para que sirva de exemplo aqui para a nova gestão municipal, pois é sabido que o que se diz por aí, é que dezenas, centenas de terrenos municipais teriam sido vendidos na cidade na gestão de Ribamar Alves. Até por perto do Parque Dona Zima, um local em que seria construído um teatro, teria sido vendido, sem a devida autorização da Câmara Municipal. Dizem também que nem riacho que corta a cidade escapou.

Que sirva de exemplo aqui II

Pois que sirva de exemplo para a Dra. Vianey, o que fez a prefeita lá de Zé Doca. Corra atrás de reaver as terras do município de Santa Inês que foram negociadas por debaixo do pano, por segundos ou terceiros, sabe-se (ou sabe-se?) lá por quem, mas que não fiquem os munícipes prejudicados. E se sobrou algum pedaço de terra, que a digníssima mande vigiar antes que vendam o que ainda teria restado.    

Chumbo quente

Exemplo para todos. Em Bom Jardim, único município do Maranhão onde a Justiça afastou prefeita, vice e até presidente da Câmara e eles não voltaram mais, o novo prefeito Dr. Francisco sabe que se bobear, não fica seis meses no governo./// Por isso vem seguindo à risca o que diz a Lei da Publicidade./// O prefeito assumiu no dia 1º e no dia 03 já estava mandando publicar no jornal portaria que cria comissão de licitação, com nomes dos que a compõe, editais de licitação para contração de serviços advocatícios, contábeis, coleta, transporte, triagem, e disposição final de resíduos sólidos (lixo), e serviços de engenharia, etc./// Todos estão publicados na edição passada deste jornal.///Lá em Bom Jardim, a coisa funciona assim.//// É tudo muito claro. ///Prefeito de lá sabe que se bobear, o MP e a Justiça o tiram do poder num piscar de olhos./// O direito à publicidade dos atos do prefeito vale naquele município./// Deveria valer em todos os 217 municípios maranhenses, sem falar nos mais de 5 mil municípios brasileiros./// E por hoje é só. Fomos!!!! 

 

Postado por: Redação Agora

Categoria do Post: A-Cidade

Data: 11/01/2017

Visitas: 440

Palavras-chave: Coluna Estado de Alerta 1177

Fonte: Da Editoria de Política

Big Systems
6166548 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 09 do mês 04 de 2020