• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - ACOMPANHAMENTO NUTRICIONAL NA PREMATURIDADE

ACOMPANHAMENTO NUTRICIONAL NA PREMATURIDADE

De acordo com a OMS, Organização Mundial de Saúde, o bebe? de baixo peso ao nascer e? definido como todo nascido vivo com peso inferior a 2.500 gramas, e a prematuridade e? classicamente definida, como o nascimento que ocorre antes da 37ª semana de gestação.

Sabe-se que a saúde da criança esta? diretamente relacionada ao ganho de peso dentro do útero materno, bem como a manutenção do peso após o nascimento. O fator peso associado ao nascimento prematuro pode trazer diversas complicações a? saúde da criança, o que faz com que o RN prematuro e de baixo peso ao nascer apresente características singulares que requer uma adaptação complexa ao meio extrauterino, frente aos aspectos biológicos, sociais e psicológicos, podendo apresentar complicações decorrentes de infecções e de lesões, as quais podem levar a? varias complicações de saúde.

Deste modo, é necessária uma atenção, com suporte técnico e social adequado para facilitar essa adaptação, que deve ser prestada durante a hospitalização, já? que muitas vezes necessitam cuidados em unidades de terapia intensiva neonatal (UTIN) ate? saírem da situação de risco, e ter continuidade após a alta hospitalar.

Com objetivo de oferecer um suporte nutricional adequado ao prematuro é necessário compreender os mecanismos que levaram à interrupção da gestação e observar suas particularidades quanto à capacidade digestiva e demanda de macro e micronutrientes. O objetivo da equipe de nutrição é atingir na vida pós-nascimento prematuro as mesmas taxas de crescimento intrauterino de fetos de mesma idade gestacional.

Na condição intrauterina, a nutrição do feto é dependente do aporte nutricional provido pela placenta. O nascimento prematuro interrompe a transferência de nutrientes e o recém-nascido é privado de um período crítico de crescimento intrauterino acelerado. Nos primeiros dias de vida, ocorre desequilíbrio entre oferta restrita de nutrientes e ineficiência do seu aproveitamento, e demanda metabólica aumentada pela presença de comorbidades, resultando em um déficit nutricional cumulativo.

As características do trato gastrointestinal do prematuro são condições sensíveis que devem ser tratadas pela equipe de terapia nutricional, pois há o receio da enterocolite necrosante (inflamação intestinal em que porções do intestino sofrem morte celular), e alta prevalência de intolerância alimentar. O intestino é suscetível a processos inflamatórios devido à imaturidade da barreira mucosa e da resposta imune local. A capacidade de tolerar a introdução e a progressão da dieta enteral é outro aspecto particular no manejo clínico do recém-nascido, com impacto direto no sucesso. O maior tempo de esvaziamento gástrico, menor velocidade de propagação de líquidos e presença de patologias respiratórias são fatores de predisposição à intolerância alimentar. A abordagem nutricional do prematuro deve contemplar as particularidades com objetivo de atender as necessidades metabólicas. As demandas nutricionais dos prematuros são dinâmicas e sofrem influencia de diversos fatores como idade gestacional, peso, presença de morbidades.

A terapêutica parenteral deve ser instituída nas primeiras horas de vida, enquanto a imaturidade não permite o uso da via enteral. Em paralelo, a introdução do leite materno em pequenos volumes atua de forma trófica sobre o intestino, favorecendo seu amadurecimento.

É recomendável a introdução do leite materno como alimento preferencial para todos os recém-nascidos, contudo, fórmulas hipercalóricas e a fortificação do leite materno têm como proposito ofertar nutrientes às necessidades do prematuro.

Desta forma, a abordagem nutricional do paciente prematuro após a alta deve ser vista como continuidade do tratamento proposto em regime hospitalar. A escolha da melhor forma de nutrir estes pacientes é fundamentada no histórico neonatal, considerando medicações em uso, capacidade de tolerar volume, as patologias de base e as necessidades nutricionais específicas.

A alimentação representa continuo desafio para os responsáveis pela nutrição do neonato, principalmente, daqueles prematuros e de muito baixo peso ao nascer.

Marina Brandão

Nutricionista e Gastróloga

Atendimento domiciliar e clínico

31 98791-3835 - whatsapp

98 99183-0568

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Entretenimento

Data: 07/11/2018

Visitas: 46

Palavras-chave: ACOMPANHAMENTO NUTRICIONAL NA PREMATURIDADE

Fonte: Por Marina Brandão

Big Systems
3895434 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 14 do mês 11 de 2018