• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - Sorte

Sorte

Semelhantemente, às ponderações sobre o azar publicada em artigo anterior, nesse trato da sorte. Pergunta-se: o que é sorte, ela existe? Como ela surge, como ocorre e de onde vem? Há pessoas que tem mais sorte que outras? Em havendo, o que ocorre para distingui-las? São perguntas que sempre se fez e a maioria das pessoas acreditam em sua existência, muito embora, muitas dessas perguntas ainda não são plenamente respondidas.

São questões também muito antiga e acompanha o homem ao longo dos tempos. Sorte, permanece como um tema controverso, complexo e de múltiplas facetas. Sempre foi foco de grandes interesses e de profundos estudos e reflexões entre filósofos, cientistas, metafísicos, psicólogos, parapsicólogos, culturalistas, sociólogos, antropólogos, psiquiatras, religiosos e de muitos outros estudiosos do comportamento humano e de suas crenças. 

Sorte, como suposto fenômeno, é uma condição, literalmente, antagônicas e opostas ao azar, embora ambas as condições tenham uma origem comum: o imaginário popular, com suas crenças, crendices e superstições. São distintas formas fenomenológicas de se compreender certos acontecimentos. Sorte e azar, são como se fossem faces distintas de uma mesma moeda. O que nós entendemos por sorte está relacionada à eventos positivos, é ter pé quente, ter fortúnio, boa estrela e ser favorecida pela felicidade. A sorte se relaciona às coisas boas e bem-vindas, eventos prazerosos, a alegria e a contentamentos.

Na sorte o que está em jogo, simbolicamente, são crenças e sobre essas, o que fala alto, são constatações e convencimentos pessoais. Para muitos, a sorte existe e é verdadeira e está atrelada a estados de energia positiva que uma pessoa mentalmente a atrai para si e a concretiza em sua vida. A sorte, está ligada ao acaso e independe da ação voluntária do homem. É algo imprevisível e nasce, fundamentalmente, da crença das pessoas em símbolos e situações do cotidiano, sobre a qual não tem comando e não a determina. Quanto mais as pessoas acreditam nessa situação, mais ela toma corpo e ganha força.

Ter sorte é ter, simbolicamente, pé quente é uma coisa tão boa e atraente que muitos buscam e que podem atraí-la para si em seu cotidiano.  Por isso sentir ou ter sorte é uma condição própria das crendices humanas sendo essa prerrogativa incrustada no imaginário pessoal, social e cultural e tem uma importância muito grande como folclore e como alegoria à grandes eventos que podem ocorrer. A sorte como uma situação casual, é algo favorável e diz respeito às coincidências, ao acaso, à eventualidade, à casualidade, a um acidente ou imprevisto.

Para muitos, os que tem sorte, são merecedores de encômios, recompensas e méritos dos Deus ou do cosmo. Ter sorte é sinônimo de conseguir algo que é importante, contentamento e alegria de se adquirir o que pretende. A sorte prenuncia coisa boas, algo sobrenatural e positivo que está culturalmente relacionado às superstições e essas associações supersticiosas ocorrem a partir de mitos e lendas, tanto em regiões urbanas ou rurais as quais são transmitidas através de tradições sociais, culturais ou pessoais.

A sorte, simbolicamente, pode estar relacionada a animais, a objetos, a roupas, cores, datas (dias, meses ou anos), a números, etc. e isso vai aos pouco sendo transmitido de pais para filho, de família a família, de sociedade para sociedade, de cultura em cultura e toda essa cadeia de eventos vãos e incrustando no social, no cultural e no psicológico das pessoas ao longo dos tempos e nesse prosseguir se firma como algo factível e possível de ocorrer, com seus significados próprios.

Em Dicionário Etimológico Nova Fronteira, sorte, corresponde à fado; destino, bom resultado. Se origina do latim, sors, sortis. 

De qualquer forma, sorte está no imaginário pessoal, social e cultural de nossa gente como algo positivo, como uma proteção divina, é um evento que traz algo bom que pode acontecer em um futuro. Nessa perspectiva, o comportamento das pessoas ante a possibilidade do ter sorte fatalmente, irá conduzi-la a tentar persistir para ver se ela vem e sempre na expectativa de que ela surja ou sobrevenha. Esse pressentimento pode estar associado a qualquer evento, acontecimentos, coisa materiais, animais ou mesmo a alguém. Em sendo a alguém, esse contato é bem-vindo, pois isso, caso não ocorra produz-se uma sensação de mal-estar difuso, medo e insegurança inquietantes, associado a um sentimento de evitação. Se for ligado a algum animal ou coisas ou a acontecimentos o sentimento de aversão ou evitação é o mesmo.

Quando a sorte está relacionada às pessoas, diz-se, sortuda. Nesses casos, esses sortudos são detentores de sucessivos acontecimentos envolto a sortes ou de um acontecimento inusitado e esperado por muitos. Por exemplo, ganhar em uma loteria esportiva, na mega-sena e em outro sorteio de muitos significados é o exemplo de sortudos. São pessoas que podem provocar coisas boas, isto é, possibilita ou ocasiona a sorte. Nesses casos, os sortudos são bem vistos socialmente, são considerados, referenciado e identificado como tal, enquanto que o azarado, resta-lhe pena ou piedade.

A sorte, como vimos anteriormente, está associado à superstição, que por sua vez diz respeito às crenças e crendices, ou noção sobre algo que não tem base na razão ou no conhecimento, que leva a pessoa a criar falsas obrigações, ou a temer coisas inócuas e a depositar confiança em coisas absurdas. Superstição, é crer em situações com relações de causalidade que não se podem demonstrar de forma racional ou empírica. A superstição está relacionada ao sobrenatural. Fazem parte da crendice e do imaginário popular, são crenças em presságios e sinais, originada por acontecimentos ou coincidências fortuitas e nesses casos da sorte esses fatos são sempre positivos.

Exemplo clássicos e muito antigos são alguns amuletos que dão sorte, proteção ou ainda afastam os maus eventos: trevo de quatro folhas, escaravelho, âncora, mão em figa, olho grego, pé de coelho, ferradura, o gato japonês, olho de hórus, etc. Todos esses amuletos carregam consigo crenças muito forte e antigas e estão fortemente atreladas a coisas que dão sorte e afastam o azar ou coisas ruins.

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Entretenimento

Data: 24/11/2018

Visitas: 51

Palavras-chave: Sorte

Fonte: Por Ruy Palhano

Big Systems
4409205 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 19 do mês 04 de 2019