• Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - QUAL É A ESSÊNCIA DO NATAL?

QUAL É A ESSÊNCIA DO NATAL?

Se fizermos uma análise crítica e aprofundada sobre o Natal nos dias atuais, veremos que a data perdeu muito de sua essência, o que ficou vem sendo vendido nas vitrines e prateleiras das lojas em prestações suaves e que cabem em nosso bolso. O capitalismo transforma tudo em produto, ele desvirtua as coisas, tira a alma e a empacota como um belo presente para ser dado nas principais festas de ano. Infelizmente no período natalino não poderia ser diferente.

Propagandas e mais propagandas que saltam aos nossos olhos, promoções, queima de estoque... Sua mente sendo moldada para consumir cada vez mais e de forma desenfreada, produtos que ganham vidas e homens que se tornam produtos, se desumanizam, viram mercadorias na ciranda do consumismo... A dinâmica das relações é transformada pelo novo modus vivendi, os homens se tornam as mercadorias que eles compram e portam.

Nós não somos homens (se é que algum dia fomos), nos tornamos o perfume que usamos, a roupa que vestimos, o sapato que calçamos, a casa que habitamos, o carro que andamos, o celular que usamos... É impressionante como qualquer traço de humanidade é apagado, ganhamos o status de objeto vendável, moeda de troca, e que tem um determinado valor de acordo com o mundo capitalista-materialista.

O Natal vem perdendo o seu aspecto lírico, bucólico, simbólico, poético... A figura central da data, o homem que foi capaz de dividir a história, que foi um Mestre elevado, de alma poética, que versava sobre os lírios do campo, que poetiza nos montes, que matava a sede existencial, vem sendo esquecida e substituída por um forte apelo comercial. O material vem substituindo o imaterial, a essência vem dando lugar a uma vontade desenfreada por ter, por consumir.

Jesus nos deixou uma forte reflexão em seu nascimento, todos os elementos presentes nesse momento sublime são altamente simbólicos. O Rei dos reis não nasceu em um grande castelo, em aposentos opulentos, cercado de servos, de riquezas, de luxo... A Majestade Suprema do Universo se vestiu de simplicidade, vindo ao mundo numa estribaria, cercado de animais, numa manjedoura improvisada, fugindo da ira e do massacre de Herodes.

O Mestre recebeu a visita dos reis magos, que foram guiados pelas estrelas para chegarem até o redentor do mundo e presentarem a criança divina com o que de mais fino existia na época. Não que Jesus precisasse, os três reis magos queriam apenas mostrar a importância e majestade de Jesus.

Utilizando o nascimento de Cristo como base para esta reflexão, concluímos que: o Natal de hoje nada tem a ver com a essência da data. Sei que parece um pouco utópico, saudosista, comparar ou querer que tudo fosse completamente igual ao que aconteceu há séculos. Os homens mudam, as relações também, tudo muda. Todavia, a essência deve permanecer, existem coisas que não devem ser mudadas radicalmente.

A essência do Natal era para ser a vida, a celebração da esperança, um mergulho no íntimo, uma reflexão sobre a existência... Contudo, o lado belo do existir não pode ser vendido, a elevação do seu espírito não pode ser vendida, a alegria de nossa alma não pode ser vendida e nem comprada. Porém, queremos algo que tenha um valor estampado, queremos as promoções, propagandas, queremos o palpável, a vitrine, o outdoor...

Afinal, nossas almas capitalistas baniram a figura de Cristo da celebração de seu nascimento... Nós a substituímos por algo bem mais rentável. Nós a substituímos pelo valor de compra e venda, pelo status que a mercadoria proporciona.

Por Evilásio Júnior

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Entretenimento

Data: 22/12/2018

Visitas: 24

Palavras-chave: QUAL É A ESSÊNCIA DO NATAL?

Fonte: Por Evilásio Júnior

Big Systems
4129238 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 18 do mês 01 de 2019