/Maranhão
17/10/2012 15h48 - Atualizada em 20/10/2012 10h33

Dilma inaugurou Usina Hidrelétrica de Estreito

Na ocasião Dilma Rousseff garantiu que não haverá mais suspensão no fornecimento de eletricidade.

Ao lado do presidente do Senado, José Sarney, a presidente da República, Dilma Rousseff participou, na manhã de quarta-feira 17, da cerimônia de inauguração da Usina Hidrelétrica Estreito. Construída no rio Tocantins, na divisa dos estados do Maranhão e Tocantins, a hidrelétrica faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).

A presidenta também falou sobre economia durante a cerimônia e disse que é possível manter a austeridade fiscal no país e, ao mesmo tempo, investir. “Estamos na encruzilhada que mostra que é possível crescer e distribuir renda, manter a austeridade e, ao mesmo tempo, investir, é possível manter os empregos mesmo quando a crise bate forte no mundo e nos atinge de alguma forma”, disse ao acrescentar que para garantir o crescimento, o país precisa ser competitivo e que a energia elétrica é uma das condições para isso.

Dilma voltou a defender o uso de energia hidrelétrica, por ser uma energia limpa, ao contrário, por exemplo, do que ocorre com as termoelétricas, que usam carvão. “Do ponto de vista ambiental é muito melhor energia hidrelétrica e mais seguro do ponto de vista de seus efeito e consequências do que gerar energia nuclear. Não emite gases de efeito estufa e isso significa que temos um projeto de energia renovável.”

A hidrelétrica de Estreito tem capacidade instalada de 1.087MW, suficiente para abastecer uma cidade com 4 milhões de habitantes, segundo informações do Consórcio Estreito Energia (Ceste). Em cerca de quatro anos – entre construção e implantação –, a Usina de Estreito gerou em torno de 36 mil empregos diretos e indiretos, sendo mais de 85% de mão de obra local.

Foram investidos mais de R$ 5 bilhões na implantação da usina e R$ 600 milhões em ações socioambientais e benefícios aos municípios contemplados pelo projeto. O lago formado pela hidrelétrica ocupa uma área de 400 km² e abrange 12 municípios dos estados do Maranhão e Tocantins.

O governador em exercício do maranhão, Washington Oliveira, e o governador do Tocantins, Wilson Siqueira Campos, também participaram do evento, além do secretário-executivo do Energia, Márcio Zimmermann, e os ministros da Pesca, Marcelo Crivella; e do Turismo, Gastão Vieira, entre outros.

A presidenta saiu de Brasília às 7h da manhã, e desembarcou no aeroporto Renato Cortez Moreira, em Imperatriz, por volta das nove horas de quarta-feira. Ela seguiu de helicóptero até Estreito, onde fez visita às instalações da hidrelétrica e cerimônia solene. Terminada a solenidade, Dilma retornou para o Distrito Federal ao meio dia. Da Secretaria de Imprensa da Presidência do Senado