/Polícia
18/06/2012 15h21 - Atualizada em 18/06/2012 16h02

Primeiro crime atribuído ao matador de Décio em Santa Inês

A mídia da capital, baseada em informações divulgadas pela Secretaria de Segurança do Maranhão, vem noticiando que Jonathan de Sousa Silva, acusado de ter executado o jornalista Décio Sá no dia 23 de abril em São Luis, teria cometido não somente dois assassinatos em Santa Inês, fato acontecido na Cotia Pelada em outubro de 2010, mas também um terceiro assassinato. O que leva a polícia a crer que o terceiro, ainda não confirmado, teria ocorrido  no dia 4 de junho de 2010, no centro de Santa Inês. Levantamentos feito nos arquivos do jornal AGORA Santa Inês registram que a  vítima de Jonathan teria sido o dançarino de um grupo de dança da Santa Inês Claudemir Ferreira dos Santos, de 26 anos.

 
 
LEIA MATÉRIA ABAIXO PUBLICADA EM JUNHO DE 2010
 
 
Crime de pistolagem repercute na cidade: homem é assassinado no centro de Santa Inês
 
Nesta quarta-feira, fazem cinco dias que um pistoleiro matou um homem em uma das mais tradicionais ruas de Santa Inês.O jovem conhecido por Claudemir Ferreira dos Santos de 26 anos, que segundo muitos, tinha envolvimento com drogas, mas convivia no meio da sociedade local, levou quatro tiros na cabeça e morreu antes de dar entrada em um hospital.
O crime aconteceu por volta das 19:30 de sábado, Cláudio, como era conhecido, havia acabado de sair caminhando a pé do ensaio de um grupo de dança folclore da cidade com alguns amigos, quando de dentro de um carro de cor, provavelmente preta, que estava parado na Rua do Sol entre as ruas Santo Antônio e Comércio, próximo da Pizzaria da Joselma, dois elementos chamaram por Cláudio, que se aproximou do veículo e recebeu quatro tiros a queima roupa, todos acertaram a cabeça da vítima.Uma outra versão de uma testemunha, dá conta de que Cláudio teria sido chamado pelo nome por seu algoz que já se encontrava fora do carro e foi aconselhado pelos amigos a não ir ao encontro do mesmo, sendo que Cláudio teria dito que o conhecia e que os amigos não se preocupassem.Ao se aproximar do homem, este teria lhe pedido que encostasse o rosto em seu ombro e em seguida disparou os tiros que mataram Cláudio.
Ainda segundo informações repassadas a nossa equipe de reportagem, Cláudio tinha envolvimento com drogas.Ele as recebia de traficantes de uma cidade do interior do Pará e repassava o produto na cidade. A vítima estaria devendo ao traficante que não perdoou a dívida, cerca de 15 mil reais, e como  dizem na gíria policial, houve um “acerto de contas”.
Satisfeito com o resultado, o assassino ainda desconhecido da polícia, deixou a arma – possivelmente um revolver calibre 38- cair no chão mas apanhou logo em seguida e foi embora com seu comparsa no carro. A Polícia Militar foi acionada e ao chegar ao local, realizou várias buscas para tentar localizar o suspeito, mas não conseguiu encontrá-lo. No momento do crime, a vítima estava acompanhada de sua mulher e amigos que ficaram abalados. O corpo de Cláudio foi sepultado no Cemitério São Benedito. A polícia Civil já tem nome de alguns suspeitos, mas continua investigando o caso.
 
 
Claudemir Ferreira era um dos integrantes do grupo Paixão Proibida
 
 
Claudemir foi morto com quatro tiros a queima roupa (detalhe)