Agora Santa Inês - A IDÉIA EMBRIAGADA

A IDÉIA EMBRIAGADA

Por Sargento Marinaldo
Por ter me dedicado, por algum período, ao exercício da mente através do hábito da leitura, comecei a sentir  o cérebro um tanto agitado que, de quando em vez, acordava pela manhã com uma explosão de  ideias.   Até aí tudo bem,  o grande problema foi quando esses pensamentos começaram a me tirar o sono. A leitura por si só, tem a finalidade de atiçar a percepção cerebral e a oferecer o  esclarecimento, e, talvez por conta disso, eu era acometido por intensas e incessantes interrogações carregadas de dúvidas e suas indignações.  Embora a leitura estivesse me fornecendo uma ampla e espantosa cosmovisão, não estava  me sentido muito feliz com isso.  Pensei naquela passagem de Eclesiastes 1:18 que diz que quem tem seu conhecimento  aumentado, este também tem aumentada a sua dor.  Então, agora só me restava mergulhar de vez nesse mar de idéias,  e pescar de lá, uma que me fizesse abdicar dos pensamentos inquietos, mesmo que essa renúncia fosse para burla a própria consciência; muito   porém, o importante era trazer o conforto de uma simplória felicidade.    Pois bem,  um certo  dia, estava eu jantando num daqueles bares que vende espetinho de carne, e ouvia, sem querer, a conversa de alguns rapazes que bebiam na mesa ao lado. Vi que seus pensamentos eram vagos e distantes de qualquer preocupação com respeito a realidade, e sorriam por qualquer bobagem.    Nesse momento fisguei uma ideia.  Percebendo que na embriaguez eu não teria tanta necessidade de pensar,  poderia utilizá-la para afugentar todos aqueles pensamentos que me  atormentava.  Agora era só botar em prática. Sabia que tinha que começar por uma bebida suave para habituar o paladar e acostumar o fígado, mas o problema era   que nunca tive nenhuma aptidão alcoólica.  Não sei se para me integrar ao meio, eu tinha que ser um embriagado retórico de aproximações líricas  ou apenas um desinibido e incoerente falastrão.  Todavia, ao experimentar os primeiros goles da minha ascensão social, minha mente lançou um verdadeiro contra-ataque de pensamentos, que minha ideia fora metralhada por informações sobre os perigos da bebida num fluxo tão intenso, que dizimava centenas de neurônios de uma só vez. E durante essa batalha, eu ia sendo esclarecido sobre: as tonturas, os vômitos, uma possível cirrose, a desagregação da personalidade por causa da dependência e os tremores da abstinência. Diante do poderio, minha embriagada ideia fora exterminada por completo, e deste então, continuo sendo sufocado pela liberdade de pensamento, pelo conhecimento adquirido pela leitura, pela minha abominável consciência.

Postado por: Redação Agora

Categoria do Post: Regional

Data: 16/02/2016

Visitas: 680

Palavras-chave: A IDÉIA EMBRIAGADA

Fonte:

Big Systems
10958981 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 27 do mês 05 de 2022