• Agora Santa Inês - camp
  • Agora Santa Inês - camp
  • Agora Santa Inês -
  • Agora Santa Inês -
Agora Santa Inês - COLUNA DO SILVEIRA 1597

COLUNA DO SILVEIRA 1597

“Quando deixamos que a tribulação seja maior do que nossa fé, dificilmente conseguiremos enxergar uma saída. Lutemos para não deixar isso acontecer”. Do Livro Gotas de Reflexão Espiritual Parte II de Clélio Silveira Filho.

Oá, bom dia! Aqui estamos nós mais uma vez, com o seu, o nosso Jornal AGORA Santa Inês, cuja edição circula nesta quinta-feira, dia 06 de maio de 2021, 100% digital em três versões: no site; www.agorasantaines.com.br. no aplicativo Telegram e na edição eletrônica em PDF. Trazemos aqui em 20 páginas, dezenas de conteúdos informativos dos mais diferentes segmentos da vida da população de Santa Inês e da região. Esperamos que possam todos entender, as várias maneiras de noticiarmos os mais diferentes fatos de interesse de todos, ou dependendo da Coluna, de um determinado setor da sociedade. O Jornalismo hoje, é produto de primeira necessidade para que possamos nos inteirar em tempo real dos acontecimentos. Não adianta apontar a Imprensa séria, que trabalha com números e dados concretos, como responsável pelo que políticos em especial (não nessa ordem) aprontam neste país chamado Brasil, por conseguinte, neste Estado chamado Maranhão, ou neste município chamado Santa Inês, ou outro qualquer da região. Vivemos dias mais que difíceis,  e a cada dia que passa temos a sensação que estamos seguindo ladeira abaixo. Na Educação estamos tão perdidos como jamais estivemos. Na Saúde, estamos vivendo uma tragédia, a qual não temos a menor ideia quando é que ela vai acabar. Na Economia, não podemos apostar um níquel no que vai acontecer amanhã, inclusive o Ministério da Economia está desmilinguido. No Meio Ambiente, uma parte do Brasil já teve milhões de hectares de mata dizimados, bem como aldeias destruídas,  e os infratores são “premiados” e seguem sem punição. Na Segurança, vivemos uma insegurança sem tamanho. O que se vê no Brasil,  é estarrecedor, qualquer um pode comprar uma arma ou mais, e milhares de munições. Como pensar em paz, tranquilidade e Segurança desse jeito? O Governo que aí está, diria muitos, é mais fraco do que “caldo de peteca”. Falta-lhe credibilidade, confiança, desrespeitou tanto e tantos nos primeiros 28  meses de governo que hoje ninguém o leva mais a sério. Diz uma coisa pela manhã e desdiz mais tarde. De berros, palavrões, “bananas”, humilhações contra a Imprensa e populares que discordam de alguma coisa, de tudo se viu, e não foi pouco. Agora....o silêncio é a resposta para as denúncias de corrupção  que envolvem todo o clã e aliados que os cerca. Triste cena! Triste filme! Triste enredo!! Mas....vamos na Fé. Roguemos a Deus que Ele nos cubra com suas bênçãos generosas e que essas bênçãos alcancem todos nós, inclusive os habitantes dos palácios de Brasília. Amém!

 

MAIS UMSANTAINESENSE SE VAI  

Muitos não moram mais aqui, já há muito tempo. Mas nasceram por aqui, viveram sua infância, adolescência e juventude por aqui, como foi o caso da nossa querida Ana Lula  que nos deixou no começo da tarde do último domingo, em São Luís, vítima da covid19. Esses não entram na conta de Santa Inês que já alcançou 166 óbitos, sendo 77 só na atual gestão. Pois bem, como quase todos os dias, amanhecemos com essas tristes notícias. A vítima da vez foi Jean Ted Guimarães Craveiro, filho de Getúlio Lopes Guimarães e Rita de Cássia Craveiros, moradores de Santa Inês desde os anos 50, ali na Rua das Marias, casarão em frente a Danceteria Bruts, junto com Alfredo Maluf e outros tantos que ajudaram na estruturação desta cidade. Jean Ted nasceu em Santa Inês, acabou de fazer 51 anos no dia 22 de abril, sobrinho de Hilton Guimarães que era casado com minha tia Ceci, irmã do meu pai, Clélio dos Reis Silveira, hoje viúva, etc. Jean Ted viveu como irmão de minha prima Jória, filha de Titia Elza, que foi criada por Genú Maluf. Haja história! Jean Ted foi mais uma vítima da Covid19. Ele foi a óbito esta madrugada de quinta-feira, em um hospital de São Luís. Sem mais palavras. Que ele descanse em paz e que a família seja confortada por Deus!

 

VIVER PARA VER

Eu, Clélio Silveira Filho, tinha que viver para ver a própria FUNAI, a quem cabe a proteção dos índios, pedir a condenação dos tais, por isso ou mais aquilo. Caminhamos mesmo para algo muito mais triste, se é que isso é possível. E é, afinal, quem nos comanda é capaz de tudo, até de nos “presentear com uma guerra civil”.

Postado por: Redação Agora 03

Categoria do Post: Coluna-do-Silveira

Data: 06/05/2021

Visitas: 264

Palavras-chave: COLUNA DO SILVEIRA 1597

Fonte:

Big Systems
9389474 visitas no Portal www.agorasantaines.com.br hoje 20 do mês 06 de 2021